Passo Fundo cresceu 7,4% em 2016

Os dados revelam que o município obteve a melhor percentagem de crescimento nos últimos três anos

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Produto Interno Bruto (PIB) de Passo Fundo cresceu em torno de 7,4% em 2016, na comparação com o ano anterior. Com esse avanço, o valor total quase alcançou a cifra dos R$ 8,4 bilhões e o município permanece como 6ª maior economia gaúcha, com participação de 2,06% no PIB do Estado. O PIB per capita, que é o valor total do PIB dividido pelo número de habitantes, ficou em R$ 42 mil em 2016. Em 2015, havia sido de R$ 39,7 mil. Os dados são divulgados, anualmente, pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).


A porcentagem de crescimento foi a melhor dos últimos três anos. De 2010 a 2013, o ritmo de expansão no indicador ficava na casa dos 20%. Porém, em 2014, Passo Fundo sentiu os respingos da crise econômica que assolou todo o país. Naquele ano, o município perdeu uma colocação no ranking das maiores economias do RS e cresceu 2,1%. De 2014 para 2015, o crescimento foi de 5,8%.


O coordenador da agência do IBGE de Passo Fundo, Jorge Bilhar, sinaliza que a cidade continuou crescendo, mesmo apesar da recessão. Entre os principais fatores que garantiram bons índices nos últimos anos, Bilhar destaca a diversidade econômica e os polos de serviços, em especial de saúde.

 

Setores
Setor com maior participação, os serviços foram os responsáveis por manter os números positivos, ainda que com crescimento menor, durante esses anos de recessão econômica. Em 2016, cresceu 7,7%, alcançando R$ 5,2 bilhões. Em 2015, o setor havia registrado variação semelhante, de 7,1%. Em 2014, quase não houve acréscimo, com 0,75%. De 2010 a 2013, os serviços se desenvolviam a passos largos, com elevações de 18,9%, 26,3% e 24,1%, respectivamente.


A Indústria, um dos setores que mais sentiu os impactos do momento econômico, variou 1,2% em 2016. No ano anterior, o indicador do setor havia apresentado queda: -1,2%. Em 2014, o PIB da Indústria foi de R$ 1 bilhão, com elevação de 11,2%.


O PIB da agricultura cresceu 13% em 2016, na comparação com o ano anterior. Com isso, o valor final do setor ficou na casa dos R$ 162,8 milhões. O setor apresenta maiores oscilações no decorrer de anos, de acordo com os resultados das safras.


O que esperar do PIB 2017?
A tendência, conforme Jorge Bilhar, é que o índice de crescimento se mantenha para as próximas edições do PIB. Em 2019, o IBGE divulgará os números referentes a 2017. O coordenador lembra que surgiram investimentos importantes, como o Passo Fundo Shopping e a Havan, cujas consequências, em termos de desenvolvimento, serão observadas nos próximos anos. Os dados referentes ao PIB 2017 já estão em análise na filial do Instituto. 

 

Os dados, além de servirem de base para cálculos de retorno de impostos, traçam o perfil da cidade e servem para atrair novos negócios. Bilhar destaca que o município já ultrapassou 200 mil habitantes e que a estimativa é continuar neste ritmo. “O IBGE continua sendo o maior banco de dados que gera todas essas informações, que são de extrema relevância para quem se interessa em Passo Fundo, seja para morar ou investir”, argumenta.

Gostou? Compartilhe