Passo Fundo foi atingido por tempestade de raios

Temperatura alta da tarde de segunda-feira favoreceu a tempestade

Por
· 1 min de leitura
Tempestade de raios ocorreu no início da noite de segunda-feiraTempestade de raios ocorreu no início da noite de segunda-feira
Tempestade de raios ocorreu no início da noite de segunda-feira

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Um raio, relâmpago ou corisco, pela definição do Centro de Previsão do Tempo e Estudos Climáticos (Cptec), é talvez a mais violenta manifestação da natureza: “numa fração de segundo, um raio pode produzir uma carga de energia cujos parâmetros chegam a atingir valores tão altos quanto 125 milhões de volts / 200 mil ampères / 25 mil graus centígrados. Embora nem sempre sejam alcançados tais valores, mesmo um raio menos potente ainda tem energia suficiente para matar, ferir, incendiar, quebrar estruturas, derrubar árvores e abrir buracos ou valas no chão”.

Essa eletrificação da nuvem ainda não tem uma teoria definitiva que a explique, mas a versão mais aceita é que surge da colisão entre partículas de gelo, água e granizo no interior da nuvem. O que é certo é que o raio só se manifesta em nuvens de tempestade, as chamadas “cúmulus nimbus”, que se formam quando há calor e alta umidade do ar, condições que aconteceram nesta segunda-feira (13), quando a temperatura máxima chegou aos 26ºC, mesmo sendo inverno. A condição proporcionou um espetáculo no céu de Passo Fundo.

“As tempestades ocorrem quando existem nuvens muito carregadas, além das fortes descargas elétricas, e costumam ter muitos trovões, que são explosões dentro da nuvem, mas a de segunda-feira teve mais descarga do que trovões”, explica o observador meteorológico Ivegndonei Sampaio, da Estação Meteorológica da Embrapa Trigo/Inmet.

De acordo com ele, a ocorrência do raio se dá porque “quanto mais alto sobem as nuvens, mais fria é a temperatura. Em um certo momento, a água congelada e as partículas de gelo batem umas nas outras dando origem ao raio. A tempestade com raio é provocada pelo ar quente e úmido que se eleva até as nuvens, então se esfria e como é mais leve, se eleva mais e vai se resfriando, ao alcançar altitude suficiente ao seu ponto de condensação produz gotículas de água que se chocam com as partículas de gelo”, destaca o observador.

Frequência de raios
Segundo Sampaio, os raios podem subir ou descer. “Cerca de 50 milhões de raios ocorrem no mundo por ano, causando pelo menos 500 mortes. O Brasil é o recordista em ocorrência de raios, devido ao clima tropical, onde há calor intenso e alta umidade, que favorece a formação de cúmulus nimbus e, por sua vez, dos raios”, salienta. Em dias de tempestade, deve-se evitar campos de futebol e outras áreas abertas, como pasto, lavouras, e ficar longe de latarias. Na praia, sair imediatamente da água assim que perceber um temporal, e não ficar embaixo de guarda sol ou árvores, ou metais pontiagudos são as principais precauções.
Conforme o observador, o prejuízo com raios é maior que com enchentes e deslizamentos.

Gostou? Compartilhe