Por que os cachorros amam os humanos?

Médico veterinário explica como os animais se apegam aos seus donos e também o entendimento dos animais sobre os humanos

Por
· 2 min de leitura
Vigilante, ele espera pacientemente pela alta do seu donoVigilante, ele espera pacientemente pela alta do seu dono
Vigilante, ele espera pacientemente pela alta do seu dono

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A história de fidelidade entre um cachorro e o seu dono chamou a atenção dos moradores de Passo Fundo e também do Estado na última semana. Seco espera pacientemente o seu dono que está internado no Hospital da Cidade onde passa por um tratamento. Na porta do hospital ele recebe carinho das pessoas que por ali passam e mesmo dos funcionários do local que o alimentam enquanto ele aguarda. Na internet, o vídeo de um breve encontro entre ele e o dono (que pode ser conferido pelo QR Code ao lado) demonstra a cumplicidade entre os velhos amigos. O carinho emociona e a pergunta que fica é: como se cria um laço de afeto e amizade tão forte entre um humano e um animal?

Uma das possíveis explicações é antiga. Muito antiga pra dizer a verdade. Muito antes de os cães serem domesticados pelos homens eles viviam em grupos. O médico veterinário Nédio Guizzo Junior explica que nas matilhas sempre havia um líder, também chamado de macho alfa. Embora os cães tenham sido domesticados eles ainda mantêm essa característica de forma hereditária. Como os animais vivem com pessoas, muitas vezes eles acabam interpretando que o seu dono ou alguma pessoa da casa da qual ele mais se apega é o líder do grupo. “Como ele faz essa associação ele se mantém fiel. Por isso acontecem esses casos de cães que ficam em cemitério quando o dono morre, ou esperando no hospital como é o caso. Ele está seguindo e na medida em que ele faz essa conexão de líder e liderado ele segue aonde for. Provavelmente ele está na porta porque não deixam ele entrar, se não ele ficaria próximo”, simplifica.

Tudo igual
Muitas pessoas tratam os animais como se fossem gente enchendo-os de mimos, roupas e coisas que muitas vezes não fazem muito sentido. Mas e os cães, eles fazem diferença entre um humano e outro cão? Guizzo Junior esclarece ainda que o cachorro não faz distinção e acaba criando vínculo que pode ser com outro cão, outra espécie animal ou mesmo o homem. “Ele acaba incorporando a pessoa à ‘matilha’ dele, ao grupo de convivência. Ele não vai distinguir. Além disso, os vínculos de carinho e o alimento ajudam a fortalecer esses laços”, complementa.

Segundo o veterinário esse comportamento de fidelidade é o mesmo que ocorre quando o cão passeia ao lado do dono pela rua sem a guia. O processo de adestramento também leva em conta a criação desse vínculo de confiança para atender aos comandos do líder. O grau de dependência do cão com o seu dono ou seu líder varia de acordo com fatores de sobrevivência e afeto. “Às vezes vemos uma família de cinco pessoas e o cachorro só respeita um. É porque ele vê aquela pessoa como líder e a forma como ele vai se ligar a esse líder pode variar”, diz. Esse comportamento pode também desenvolver alguns transtornos patológicos nos animais quando a ligação é muito forte. Isso acontece, por exemplo, quando o cachorro urina ou rói móveis quando do dono sai de casa.

Gostou? Compartilhe