Problemas com numeração das casas dificulta entrega de correspondências

Numeração irregular, nomes de ruas indefinidos e vias com dois nomes dificultam trabalho de carteiros e prejudicam moradores

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

 

As associações de moradores de Passo Fundo reclamam da identificação irregular de endereços em algumas ruas dos bairros de Passo Fundo. As correspondências não chegam a alguns destinos devido a quatro dificuldades principais: cães soltos, numeração irregular, falta de caixinhas nas residências e inexistência de placas com a nomenclatura das ruas. Comunidade também pode ajudar para minimizar estes problemas.

O assunto foi pauta da última reunião mensal da Uampaf que contou com os esclarecimentos e informações do gerente de atividades externas dos Correios, Odone José Fantinelli Junior. De acordo com Fantinelli, uma das principais causas que dificulta o trabalho dos carteiros é a presença de cães soltos. “No Rio Grande do Sul, a cada três dias um carteiro sofre ataque canino e, por conta disso, o carteiro fica afastado durante aproximadamente cinco dias”, relatou Fantinelli.

Entre as sugestões para minimizar os problemas de identificação de residências está a necessidade de encaminhamento, por parte das autoridades, de um ofício aos Correios informando sobre alterações ou criação de ruas. Os Correios também se colocaram a disposição para realizar uma força-tarefa com o município para solucionar os problemas de numeração. Uma das dicas é utilizar o número oficial do imóvel. “Algumas instituições criam numerações paralelas e o morador acaba colocando em frente da casa diversos números. O ideal seria que os moradores utilizassem o número que consta na matrícula do imóvel”, salientou o gerente de atividades externas dos Correios.

O bairro Nossa Senhora Aparecida é confundido com Santa Marta em diversas correspondências. Além disso, algumas ruas possuem dois nomes diferentes. É o caso da Rua Luiza Barriquel, que também aparece no mapa como rua Cacequi. Já a rua Severino Ribeiro está no mapa como rua Sapiranga. “Já abri processo na Câmara de Vereadores para a Comissão de Obras e Nomenclaturas, mas perderam o processo e teremos que repetir todo o trabalho.

É um problema que gera inúmeras reclamações da comunidade”, disse o presidente da Associação de Moradores do bairro Nossa Senhora Aparecida, Iraceu Gazola. O carteiro e também presidente da vila Dona Júlia, José Amauri Garcez de Andrade, revelou que esta é uma situação comum em diversos bairros. “É uma realidade geral da comunidade, principalmente em relação a numeração errada. Tem ruas que tem dois números iguais e a norma diz que temos que ordenar as correspondências do menor para o maior. Se tiver dois números iguais, vou encontrar no primeiro número 50 que encontrar”, explicou Andrade.

Como facilitar a entrega das correspondências:

- Deixe bem visível o número da casa, prédio ou sala comercial;
- Mantenha o portão da residência fechado e seu cão vacinado;
- Coloque um aviso de “Cuidado com o Cão”;
- Em caso de atendimento ao carteiro prenda o cão;
- Disponibilize caixa receptora de correspondência, junto ao portão ou muro, mas longe de lixeiras e do alcance dos cães.

Gostou? Compartilhe