Tatu-mulita é o animal em destaque no Programa de Hábitos Noturnos do Muzar

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A partir desta semana, no Museu Zoobotânico Augusto Ruschi (Muzar) da Universidade de Passo Fundo (UPF), a comunidade poderá conhecer um pouco mais sobre os hábitos do Tatu-Mulita, animal destaque do Programa Hábitos Noturnos. Quinzenalmente, toda a comunidade está sendo convidada a conhecer costumes noturnos de diferentes animais. Dioramas, audiovisuais e imagens são utilizadas para informar sobre o animal em destaque. O horário de visitação do Muzar durante o turno da noite é de segunda a sexta-feira, das 18h30min às 22h. Outras informações podem ser obtidas pelo telefone (54) 3316-8316.

Tatu-mulita
Nome Científico: Dasypus hybridus
Família: Dasypodidae
Ordem: Cingulata
Classe: Mammalia

Habitat: Possui hábito noturno, sendo visto durante o dia raramente, com exceção de dias chuvosos, onde é visto em busca de formigas para complementar sua dieta.
Distribuição: Ocorre do centro-sul e sudeste dos Estados Unidos ao norte da Argentina.
Alimentação: Insetos e larvas que são encontrados no solo e embaixo das folhas sobre o solo.

Curiosidades:
A diferenciação das espécies do gênero Dasypus é a quantidade de cintas de placas móveis na sua carapaça dorsal. Dasypus hybridus possui de seis a sete cintas. Essa espécie possui “dados insuficientes”, por este fato não consta da lista oficial brasileira dos mamíferos ameaçados. As principais ameaças a D. hybridus são a caça, a destruição dos habitats, o fogo e a falta de pesquisas. Considerado raro por alguns estudiosos é apenas difícil de localizar.

É um tatu de tamanho pequeno, que vive nos campos e lugares abertos. Durante o dia, fica escondido em tocas, saindo ao crepúsculo ou à noite para procurar alimento. A reprodução desse animal tem uma característica bem particular: geralmente nascem da gestação, todos os filhotes de mesmo sexo.

Assessoria UPF

Gostou? Compartilhe