Fiéis encontram alternativas para celebrar Dia de Nossa Senhora Aparecida

Mesmo com o santuário fechado no domingo e feriado, centenas de devotos caminharam até a frente do espaço para fazer orações e cumprir promessas

Por
· 2 min de leitura
(Foto: Gerson Lopes/ON)(Foto: Gerson Lopes/ON)
(Foto: Gerson Lopes/ON)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O cancelamento da 40ª edição da Romaria de Nossa Senhora Aparecida, devido à pandemia, não foi capaz de abalar a devoção dos milhares de fiéis que, todos os anos, visitam o Santuário localizado em Passo Fundo. Enquanto parte dos devotos da santa acompanhou a programação online promovida pela Arquidiocese de Passo Fundo, em substituição ao evento presencial, outras centenas preferiram caminhar até o santuário, mesmo ele tendo permanecido fechado no último domingo e no feriado dessa segunda-feira (12), a fim de evitar aglomerações.

Aos 62 anos de idade, o corredor passo-fundense Moisés Santo Visentin conta que acompanha a Romaria de Nossa Senhora Aparecida desde a primeira edição – época em que era seminarista. Desde então, sem falhar uma única edição, ele reafirma sua fé percorrendo um trajeto de 11km, desde a casa onde mora, no bairro São Cristóvão, até a ERS-153, onde fica o Santuário. No trajeto, aproveita para formar um buquê com flores colhidas pela estrada e entregá-lo à santa. “Dessa vez, como não dava para entrar, o guarda perguntou se eu queria que ele levasse meu buquê até ela”, conta, referindo-se aos Guardas Municipais que fiscalizavam a movimentação no espaço durante o dia de ontem. 

A poucos metros de Moisés, em frente à entrada do Santuário, outro devoto de Nossa Senhora Aparecida se ajoelhava sob o sol intenso que marcou a tarde de segunda-feira em Passo Fundo. A notícia de que o santuário estaria fechado no feriado não desanimou Eberton Granja, que fez questão de ir até o local para rezar tanto no domingo, quanto na segunda-feira. Ele diz que, há cerca de duas décadas, mantém a tradição de caminhar desde o bairro Lucas Araújo até o santuário, como forma de pagar promessas. “Nem todos os anos eu faço promessas, mas sempre venho para pagar a dos anos passados. E nesse ano tenho um motivo a mais para orar, por causa da pandemia”, explica.

De acordo com o padre e reitor do santuário, Eberson Fontana, embora fosse possível notar a presença de fiéis no domingo, o movimento mais intenso aconteceu na manhã de segunda-feira. Apesar da circulação de pessoas, ele observa que os fiéis já estavam cientes de que não poderiam entrar no espaço e, por isso, não foram registrados “problemas nesse sentido”. “A fé é uma questão muito pessoal. Muitas pessoas fazem a procissão todos os anos, então é muito significativo para elas vir até o santuário”, pondera.

Edição atípica

Considerada a segunda maior romaria do país em homenagem à Nossa Senhora Aparecida, a procissão de Passo Fundo chegou a reunir cerca de 150 mil fiéis no último ano. Neste ano, no entanto, a Arquidiocese de Passo Fundo decidiu cancelar o evento presencial e adiar a 40ª edição da tradicional celebração para o ano de 2021. Para que a celebração da padroeira da Arquidiocese e do Brasil não passasse em branco, a entidade organizou uma programação especial, transmitida pelas redes sociais, e recomendou que os romeiros escolhessem datas alternativas para visitar o santuário.

Além de uma novena online, transmitida entre os dias 2 de 10 de outubro, a Arquidiocese também realizou uma série de celebrações ao longo do feriado de 12 de outubro. A principal delas, a Missa de Nossa Senhora Aparecida, teve início às 10h e aconteceu no espaço do Santuário, mas com participação restrita à equipe, respeitando as normas de distanciamento. Os fiéis puderam acompanhar a celebração através das redes sociais da Arquidiocese e em rádios parceiras. “A gente sabe que o alcance online é difícil de ser medido. Não conseguimos contabilizar ao certo, mas acreditamos que em torno de 40 mil pessoas tenham se envolvido com as celebrações de alguma forma”, estima o padre.

Gostou? Compartilhe