HSVP é selecionado para participar do projeto Conectando Vidas

Por
· 1 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Hospital São Vicente de Paulo (HSVP) de Passo Fundo foi indicado pelo Ministério da Saúde para participar do Programa de Apoio ao Desenvolvimento Institucional do Sistema Único de Saúde (PROADI-SUS), através do Projeto Conectando Vidas do Hospital Sirío Libanês. Este Projeto está dentro do Programa de Cuidados Paliativos do Sistema Único de Saúde (SUS) e visa contribuir com a facilitação da comunicação entre pacientes internados com a Covid-19 e seus familiares, além do boletim médico virtual. 

Conforme a Técnica de Referência do Projeto, Carolina Santanna, esta é uma demanda do Ministério da Saúde para o Sirío Libanês, a partir da dificuldade identificada de comunicação entre os pacientes acometidos pela Covid-19 e suas famílias. “É uma iniciativa que vem para auxiliar nesse processo. Notamos que as dificuldades de comunicação desses pacientes com suas famílias acabam gerando depressão e estresse entre os mesmos. Além disso, nos casos dos familiares de paciente que vem a óbito, o luto se torna muito mais difícil, vivenciado de uma forma diferente do que o normal”, explica Carolina.

Carolina conta que o Sírio Libanês atua com a responsabilidade de contratar assistentes de atendimento que vão ficar dentro dos hospitais indicados pelo Ministério da Saúde. Esse assistente atuará no hospital de segunda à sexta-feira na facilitação desse processo de comunicação. Ainda, serão disponibilizados cinco tablets, que serão utilizados por esse profissional, médicos, equipe de enfermagem e outros profissionais. 

Outra proposta do projeto é a realização do boletim médico virtual que é feito pela equipe assistencial. O projeto deve iniciar nos próximos dias e tem duração de aproximadamente três meses. “Entendemos como um legado desse projeto, a entrega desses tabletes e a criação de uma cultura de visita virtual, não somente para os pacientes de Covid-19, mas também naqueles casos onde os familiares têm dificuldade de visitar o paciente internado”, pontua.

Carolina enfatiza que a expectativa é de que o projeto traga um alento para as famílias e para os pacientes que estão internados. “Trazer um conforto nesse momento é muito importante”, destaca.

Gostou? Compartilhe