Início oficial das obras do aeroporto é autorizado em Passo Fundo

Cerimônia ocorreu no próprio Aeroporto Lauro Kortz

Por
· 1 min de leitura
O governador Eduardo Leite veio a Passo Fundo para a assinatura (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)O governador Eduardo Leite veio a Passo Fundo para a assinatura (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)
O governador Eduardo Leite veio a Passo Fundo para a assinatura (Foto: Luciano Breitkreitz/ON)
Você prefere ouvir essa matéria?

O início oficial das obras do Aeroporto Lauro Kortz foi autorizado hoje (06) pelo governador Eduardo Leite em Passo Fundo. Participaram da cerimônia o prefeito Luciano Azevedo, o secretário de Logística e Transportes, Juvir Costella, o presidente da Assembleia Legislativa, Ernani Polo, deputados e outras autoridades.

A expectativa é que o aeroporto receba 300 mil passageiros por ano, de acordo com o secretário Costella. Foi informado também que a possibilidade de transferir os voos para Santo Ângelo durante o fechamento da pista está sendo estudada. Leite destacou os 100 empregos diretos que serão gerados pelas obras e os cerca de 200 empregos indiretos que devem ser criados. "Gera empregos e movimentação da economia. Passo Fundo e região vão ganhar pelo aeroporto, mas também pela movimentação da obra", ressaltou o governador.

A placa que sinaliza as obras foi inaugurada (Foto: Luciano /ON)

Leite também destacou que está sendo preparado um edital de Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) para concessão do aeroporto para empresas. O edital pode ser lançado ainda em novembro.

Investimentos

Os investimentos anunciados totalizam R$ 45 milhões, R$ 43,7 milhões do Fundo Nacional de Aviação Civil e R$ 1,3 milhão de contrapartida do Governo do Estado do Rio Grande do Sul. Melhorias na pista, um amplo pátio para aeronaves e um moderno terminal de passageiros integram o pacote.

Fechamento

Para realizarem as obras na pista será necessário o fechamento total do Lauro Kortz. A data prevista para isso é 11 de janeiro, mas ainda depende da expedição de um NOTAM específico. Assim, por quatro meses, não será possível pousos e decolagens no aeroporto de Passo Fundo, medida que obrigará a Gol a interromper nesse período a ligação com São Paulo. Já a aviação geral, que inclui aeronaves executivas, aviões-ambulância ou de recreação, deverá buscar opções próximas para operar nesses quatro meses.

Confira mais fotos da cerimônia:


Fotos: Luciano Breitkreitz e Cláudia Dalmuth /ON

Gostou? Compartilhe