Após dois meses, Passo Fundo volta a ter bandeira vermelha

A região estava em bandeira laranja desde 19 de setembro

Por
· 3 min de leitura
O Rio Grande do Sul tem oito regiões em bandeira vermelha e 13 em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)O Rio Grande do Sul tem oito regiões em bandeira vermelha e 13 em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)
O Rio Grande do Sul tem oito regiões em bandeira vermelha e 13 em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

A bandeira vermelha em Passo Fundo foi confirmada nesta segunda-feira (23/11) durante live com o governador Eduardo Leite. A região é adepta da cogestão, por isso mesmo com a bandeira vermelha confirmada, pode seguir adotando os protocolos de bandeira laranja. 

O estado negou o pedido de reconsideração encaminhado pela região. A vigência das bandeiras da 29ª rodada do Distanciamento Controlado começa à 0h de terça-feira (24/11) e se encerra às 23h59 de segunda-feira (30/11).

Apresentando os dados relativos à região Norte, Leite destacou que há 0,87 leitos livres para cada leito ocupado por paciente Covid-19. “A gente observa nessa região um movimento preocupante”, disse o governador. A região Covid-19 de Passo Fundo estava em bandeira laranja desde 19 de setembro.

O governador descartou regras mais rígidas de distanciamento e disse que o estado está avaliando a possibilidade de novos protocolos sem prejuízos a economia. Ele também fez um apelo para o seguimento das regras e recomendou a intensificação de fiscalizações pelas Prefeituras.

Indicadores

Conforme informações divulgadas na sexta-feira (20), junto ao mapa preliminar, a região de Passo Fundo apresentou, na quinta-feira (19/11), 84 infectados em leitos clínicos – eram 60 na semana anterior. No acumulado da semana, são 87 internações em leitos clínicos (nos sete dias anteriores, foram 66). Mesmo com estabilização na ocupação de UTI pela Covid-19 (34 casos nas duas semanas), a região viu reduzir de 48 para 40 as unidades de tratamento intensivo disponíveis.

A nota técnica que justifica a classificação destaca que, "além do aumento, a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada, refletindo na bandeira preta para o indicador de incidência na região".

Passo Fundo foi classificada de risco máximo (bandeira preta) em dois indicadores específicos da região. O primeiro é o do número de hospitalizações por Covid-19 nos últimos sete dias e o segundo o número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes. Os indicadores de estágio de evolução da doença e de projeção de óbitos obtiveram bandeiras laranja e vermelha, respectivamente.

A região também teve elevação nos registros de hospitalizações para Covid-19 nos últimos sete dias, que passaram de 66 para 85 registros nesta semana, crescimento de 29%, segundo a nota. Foram registrados nove óbitos, que representam uma estabilização em relação aos registrados na semana anterior. No caso do indicador de Ativos sobre Recuperados, a região registrou 1.010 ativos para 2.217 recuperados

Estado

O Rio Grande do Sul tem oito regiões em bandeira vermelha e 13 em bandeira laranja. Os pedidos de reconsideração das regiões Covid de Santa Maria, Guaíba, Caxias do Sul, Porto Alegre e Lajeado foram acatados pelo Gabinete de Crise. Por isso, permanecem em bandeira laranja nesta semana.

Por outro lado, a equipe técnica optou por rejeitar os pedidos das regiões de Novo Hamburgo, Passo Fundo e Uruguaiana. Essas três regiões se somam a Capão da Canoa, Canoas, Ijuí, Palmeira das Missões e Erechim, que não enviaram pedidos de reconsideração. Das oito regiões em vermelho, apenas Uruguaiana não aderiu ao sistema de cogestão.

Aulas e Eventos

Desde a semana passada, uma semana em bandeira vermelha não é suficiente para que escolas já abertas interrompam as atividades ou que as escolas não possam abrir. É necessário que uma região ingresse na segunda semana consecutiva em bandeira vermelha para que as escolas não possam abrir em uma região ou, se já abertas, devam fechar. E quando a região retomar a classificação de laranja e amarela, as aulas presenciais podem ser retomadas imediatamente naquela semana.

Já os eventos sociais e de entretenimento em buffets, casas de festas, casas de shows, casas noturnas ou similares, em ambientes fechados e com público em pé ficam suspensos. A realização desse tipo de evento é permitida apenas desde que a região esteja há 28 dias seguidos sem bandeira vermelha ou preta. 

A regra é similar para eventos sociais e de entretenimento em ambientes abertos e com público em pé, que podem ocorrer apenas em regiões que estiverem há 14 dias seguidos sem bandeira vermelha ou preta. Essa regra também é válida para eventos infantis e de grande porte, que agora ficam suspensos.

RESUMO DA 29ª RODADA

BANDEIRA VERMELHA (8)

  • Novo Hamburgo (em cogestão)
  • Passo Fundo (em cogestão)
  • Capão da Canoa (em cogestão)
  • Canoas (em cogestão)
  • Ijuí (em cogestão)
  • Palmeira das Missões (em cogestão)
  • Erechim (em cogestão)
  • Uruguaiana

BANDEIRA LARANJA (13)

  • Santa Maria (em cogestão)
  • Guaíba
  • Lajeado (em cogestão)
  • Santo Ângelo (em cogestão)
  • Santa Rosa (em cogestão)
  • Cruz Alta (em cogestão)
  • Bagé
  • Taquara (em cogestão)
  • Cachoeira do Sul (em cogestão)
  • Santa Cruz do Sul (em cogestão)
  • Pelotas (em cogestão)
  • Caxias do Sul (em cogestão)
  • Porto Alegre (em cogestão)
Gostou? Compartilhe