Bebês prematuros ganham gorrinhos para o Natal

HSVP é avaliado com alta qualificação diante de casos de prematuros extremos e baixo peso

Por
· 1 min de leitura
Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline SilvestroAssessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro
Assessoria de Comunicação HSVP/Caroline Silvestro
Você prefere ouvir essa matéria?

A Unidade de Terapia Intensiva Neonatal do Hospital São Vicente de Paulo, está comemorando o Natal de uma forma que encantou os papais dos bebês prematuros internados. Os recém-nascidos com gorrinhos de Papai Noel, se tornaram “Bebês Noeis” e surpreenderam os pais nas visitas desta semana.

Mais do que ninguém, os prematuros simbolizam a esperança, a força e o presente maior, que é a vida. Os gorrinhos foram confeccionados por uma colaboradora da unidade.


Taxa

A UTI Neonatal do HSVP é referência no interior do estado pelo atendimento aos prematuros. Até 21 de dezembro de 2020, 447 bebês internaram na unidade e a taxa de alta hospitalar ficou em 94,8%. Segundo a Rede Gaúcha de Neonatologia, responsável pelo levantamento dos dados em relação aos nascidos prematuros abaixo de 1.500 kg, no Rio Grande do Sul, a taxa de alta hospitalar nesses casos no HSVP em 2020 é de 90%, índice de alta qualificação, diante de casos de prematuros extremos e baixo peso.

  A neonatologista, pediatra e coordenadora do CTI Neonatal do HSVP, a médica  Jaqueline Cabeda, pontua que a taxa de alta hospitalar, principalmente de prematuros extremos, é fruto do trabalho multiprofissional, aliado à qualificação e evolução constante de protocolos. “Estamos sempre atualizando e fazendo melhorias nos protocolos, buscando qualificar os profissionais e fazendo um cuidado humanizado. Ainda, temos aliado a isso, a evolução da neonatologia também em tecnologias, como incubadoras umidificadas que preservam a pele dos bebês e evitam infecções, melhores respiradores entre outros”, destaca a médica. “As altas, os resultados positivos motivam e estimulam a equipe a sempre evoluir e buscar fazer o melhor para os pacientes”.


Gostou? Compartilhe