Região de Passo Fundo registra aumento de indicadores e bandeira vermelha é confirmada

O aumento das hospitalizações foi de 41%

Por
· 2 min de leitura
Cinco regiões estão em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)Cinco regiões estão em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)
Cinco regiões estão em bandeira laranja (Imagem: Divulgação)
Você prefere ouvir essa matéria?

O pedido de reconsideração de Passo Fundo ao mapa preliminar da 41ª rodada do Distanciamento Controlado foi negado e a região permanece em bandeira vermelha. O Gabinete de Crise, do governo estadual, justifica o indeferimento pela piora dos indicadores, já que dois deles, específicos da região, chegaram à bandeira preta. Além disso, foi registada a piora de um indicador de velocidade de propagação da Macrorregião Norte e níveis de risco para acionamento da salvaguarda de bandeira vermelha.

A vigência da bandeira vai de 16 a 22 de fevereiro. A região está em cogestão, por isso pode aplicar os protocolos de bandeira laranja.

Indicadores

Passo Fundo alcançou classificação de risco máximo (bandeira preta) em dois indicadores específicos da região: número de hospitalizações por Covid-19 para cada 100 mil habitantes e velocidade de avanço (hospitalizações confirmadas nos últimos 7 dias / hospitalizações confirmadas nos 7 dias anteriores). 

A região teve aumento de 41% nos registros de hospitalizações para Covid-19, que passaram de 66 para 93 registros na última semana. Os óbitos também aumentaram, passando de 16 para 19, um crescimento de 19%. Os dados analisados se referem a semana entre 05 e 11 de fevereiro. 

A região registrou 1384 casos ativos e 5429 recuperados, assim, a razão entre as duas variáveis ficou em 0.25, uma piora em comparação a mensuração anterior, que estava em 0.23, de acordo com a nota técnica que justifica a classificação. O documento também destaca, novamente, que “a quantidade de novas hospitalizações em proporção da população é bastante elevada”.

Passo Fundo se mantém entre as regiões com maior número de novos registros de hospitalizações nos últimos sete dias, por local de residência do paciente, com 93 registros. As demais são Porto Alegre (214), Caxias do Sul (151), Novo Hamburgo (72), Santo ngelo (71) e Canoas (68).

Estado

O Gabinete de Crise decidiu indeferir, nesta segunda-feira (15/2), os três pedidos de reconsideração ao mapa preliminar da 41ª rodada do Distanciamento Controlado. O mapa definitivo permanece com 16 regiões em bandeira vermelha e cinco regiões em bandeira laranja: Bagé, Caxias do Sul, Ijuí, Pelotas e Santa Rosa.

Entre os indicadores monitorados pelo sistema de enfrentamento à pandemia, chamam a atenção a forte elevação no número de confirmados em leitos clínicos (+23%), o aumento nos registros de hospitalização (+32%) e também no número de óbitos (+16%). As internações em UTI se mantiveram estáveis (+1%).

Na 41ª semana do modelo de Distanciamento Controlado, houve leve aumento no número total de leitos de UTI ocupados. Considerando a estabilidade no total de leitos e também dos confirmados com Covid-19 em UTI, a razão de leitos livres para cada ocupado por Covid-19 reduziu para 0,79 no Estado. Com a inclusão de 24 registros no domingo (14/2), o Estado chegou a 11.379 óbitos, com a média semanal de 55 óbitos por dia, o que representa um aumento frente à semana anterior (+18,5%).

O Gabinete de Crise faz um alerta para o rápido aumento na ocupação de leitos clínicos nesta semana, de 902 para 1.112. Isso pode refletir em alta demanda por leitos de UTI nos próximos dias. Por isso, reforça a orientação para que a população mantenha todos os cuidados sanitários previstos nos protocolos.

Gostou? Compartilhe