REDE MUNICIPAL: Aulas iniciam na próxima semana em formato remoto

Por
· 2 min de leitura
Divulgação/ON Divulgação/ON
Divulgação/ON
Você prefere ouvir essa matéria?

Apesar das novas regras do Governo do Estado para as atividades de ensino, o início do ano letivo na rede municipal seguirá o planejamento da Secretaria de Educação. Conforme definições já anunciadas pela Prefeitura, as aulas serão retomadas no dia 1º de março em formato remoto, com atividades pedagógicas mantidas à distância para os alunos. “Entendemos que a retomada do ano letivo em 2021 precisa ser feita com a confiança necessária para garantirmos tanto as questões pedagógicas quanto a saúde da nossa comunidade escolar”, avalia o prefeito Pedro Almeida.

Conforme o secretário de Educação, Adriano Canabarro Teixeira, a definição pela retomada no formato remoto vem acompanhada de ações paralelas que vão permitir à Secretaria qualificar os projetos pedagógicos para recuperar a aprendizagem de conteúdos que não foram totalmente aprendidos pelos estudantes no ano passado. “Queremos garantir a segurança de alunos, professores e servidores. Além disso, buscaremos diagnosticar o que os alunos aprenderam e não aprenderam para que possamos ajudar as escolas e ser mais efetivos na retomada híbrida, sabendo o que teremos que tratar para qualificar a educação”, considera, enfatizando que as aulas em formato híbrido poderão ocorrer após o mês de abril.

O secretário apontou ainda que é preciso levar em consideração o tamanho e a complexidade da rede municipal de ensino. “Nós temos uma série de desafios para serem vencidos. A organização logística das escolas é um deles. Diferente da rede privada, por exemplo, o Município tem complexidades e singularidades, como os ajustes nas mais de 40 linhas de transporte escolar, a adequação dos 5 mil alunos da Educação Infantil e 11.700 do Ensino Fundamental e na gestão dos cerca de 1.700 servidores, entre professores, equipes diretivas e demais servidores”, pontua Teixeira.

No início desta semana, o Governo do Estado emitiu um decreto para o funcionamento da educação diante do agravamento da pandemia, quando mais de 300 municípios, em 11 regiões, entraram em bandeira preta no sistema de Distanciamento Controlado, adotado pelo governo gaúcho. Conforme o decreto 55.767/2021, independentemente da cor de bandeira vigente, foram autorizados a funcionar, presencialmente, apenas a Educação Infantil e os primeiros e segundos anos do Ensino Fundamental. Já em regiões classificadas na cor preta, que indica risco alto de contaminação pelo coronavírus, os demais níveis de ensino deverão ser exclusivamente remotos, como é o caso dos anos finais do Ensino Fundamental, o Ensino Médio e o Ensino Superior, além dos ensinos de idiomas, artes, esportes, etc.

 

Ensino híbrido a partir de abril

Com as adequações necessárias nas escolas e a efetivação de um diagnóstico do ensino-aprendizagem, o secretário de Educação acredita que será possível, em abril, adotar o modelo híbrido na rede municipal, dependendo do momento da pandemia. “Esse modelo já está em fase de construção e será validado por todas as entidades que compõem o comitê gestor municipal que acompanha a retomada do ano letivo”, declara Teixeira.

Gostou? Compartilhe