Seminário debate as possibilidades do ensino híbrido

7ª edição do Seminário Internacional de Cultura Digital ocorre de maneira virtual até sexta-feira (28)

Por
· 2 min de leitura
Autoridades participaram da abertura do Senid ( Foto: Reprodução)Autoridades participaram da abertura do Senid ( Foto: Reprodução)
Autoridades participaram da abertura do Senid ( Foto: Reprodução)
Você prefere ouvir essa matéria?

Promovido pela Universidade de Passo Fundo (UPF) e pela Prefeitura de Passo Fundo, o VII Seminário Internacional de Cultura Digital (Senid) teve início na manhã desta quarta-feira, 26 de maio. O evento, que é realizado de forma on-line, aborda o “Ensino híbrido e suas possibilidades”, sendo composto por uma programação que contempla centenas de atividades, como conferências, mesas-redondas, palestras, bate-papos, entre outras, as quais visam criar espaços diferenciados de discussão, trocas e demonstração de tecnologias e metodologias de inclusão digital.

A abertura do Seminário contou com a presença do Vice-Reitor Administrativo da UPF, Dr. Antônio Thomé, que, representando a reitoria, agradeceu a equipe do Senid por todo o trabalho desenvolvido. “Este é um evento que dá uma importância muito grande para o momento atual que estamos vivendo. Somos parceiros nessa luta e busca de um novo meio de educação”, comentou.

O prefeito de Passo Fundo, Pedro Almeida, mencionou a relevância do Senid nas diversas áreas do conhecimento. “Em nome do município, cumprimento a organização deste importante e grande evento para o cenário da tecnologia, do ensino, da cultura e da educação do Brasil e do mundo”, disse.

O coordenador do Senid, professor Dr. Adriano Canabarro Teixeira, destacou os números expressivos do Seminário. “São 350 pessoas envolvidas na construção do evento, das palestras e mesas-redondas. Temos 7 países representados e mais de 250 atividades nos eventos paralelos”, relatou, enfatizando que o Senid também se adaptou ao contexto da pandemia.

“Estamos criando oportunidades para que professores e pesquisadores possam divulgar as soluções que estão sendo construídas para qualificar ainda mais a educação. A tecnologia tem tido papel fundamental para que nossas crianças aprendam e se desenvolvam”, complementou o docente.

Presente na abertura, o presidente da Comissão Especial da Informática na Educação da Sociedade Brasileira de Computação, Alex Sandro Gomes, sentiu-se honrado por participar da solenidade e de poder construir conhecimento sobre cultura digital. Já a diretora do Departamento de Educação e Ensino a Distância da Universidade Aberta de Portugal, Claudia Neves, salientou que a pandemia afetou a vida profissional e pessoal de todos, o que fez ser necessário repensar as práticas antigas, bem como permitir a emergência de soluções e respostas inovadoras e criativas.

 

Conversa sobre os avanços e desafios da educação híbrida

Dentre as várias ações, o Seminário foi constituído pela conferência “Avanços e desafios na educação híbrida”, ministrada pelo conferencista de honra Dr. José Manuel Moran.

Pesquisador e mentor de projetos de transformação da educação básica e superior, durante sua fala ele trouxe o conceito de ensino/educação híbridos, que é a combinação integrada de atividades presenciais com atividades em espaços digitais de forma síncrona e assíncrona.

O convidado ainda mostrou exemplos de como a educação é trabalhada na pandemia e apresentou propostas de ensino para a Educação Básica.

Mais informações sobre a programação do VII Seminário Internacional de Cultura Digital podem ser encontradas no Facebook do Senid e no site upf.br/senid. O evento segue até a próxima sexta-feira, 28 de maio.


Gostou? Compartilhe