Rede municipal retomará aulas presenciais em todos os níveis de ensino

Atividades devem acontecer em modelo híbrido, em todas as escolas municipais de Educação Infantil e Ensino Fundamental, a partir do dia 9 de agosto

Por
· 4 min de leitura
O retorno gradual das atividades presenciais iniciou em maio (Foto: Diogo Zanatta/PMPF)O retorno gradual das atividades presenciais iniciou em maio (Foto: Diogo Zanatta/PMPF)
O retorno gradual das atividades presenciais iniciou em maio (Foto: Diogo Zanatta/PMPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria Municipal de Educação confirmou a retomada das aulas presenciais, em sistema híbrido (mesclando remoto e presencial), para toda a rede municipal de ensino a partir do próximo mês. Conforme o cronograma, alunos do terceiro ao quinto ano do Ensino Fundamental devem retornar às aulas presenciais no dia 3 de agosto, enquanto a retomada para alunos do sexto ao nono ano acontece no dia 9 do mesmo mês. O calendário é válido para todas as escolas da rede municipal.

O retorno gradual das atividades presenciais iniciou ainda em maio, quando a presencialidade do ensino na rede municipal começou a ser retomada para alunos do pré I e pré II da Educação Infantil e dos primeiros e segundos anos do Ensino Fundamental, de maneira escalonada. A volta às aulas para essa faixa etária, após o recesso escolar que acontece neste mês, também está prevista para o dia 3 de agosto e seguirá mesclando o modelo remoto e presencial.

De acordo com o secretário de Educação de Passo Fundo, professor Adriano Canabarro Teixeira, o cronograma dividido por etapas de ensino teve como objetivo promover um retorno mais responsável e seguro para toda a comunidade escolar. “Queríamos promover um processo de adaptação tanto dos professores, quanto dos alunos mais novos, que têm mais dificuldade de desenvolver as atividades de forma completamente online. E foi um processo muito tranquilo. Estamos preparados para essa nova retomada”, garante.

Segundo Adriano, a volta das atividades em formato integralmente presencial não deve se tornar uma realidade ainda neste ano. “Nós devemos manter o sistema híbrido até o fim do ano para todos os níveis da Educação Infantil e do Ensino Fundamental. Apenas caso tenhamos uma melhoria mais expressiva da pandemia, iremos discutir com a rede a possibilidade de intensificação das crianças nas escolas. Por enquanto, as aulas presenciais acontecem para 50% dos alunos em uma semana e 50% na outra. Nos dias em que não há aula presencial para um grupo, eles continuam tendo as atividades online”, explica.

Para as creches municipais, por outro lado, não há nenhuma previsão de retomada até o momento. Isto porque, segundo o secretário, trata-se de uma etapa que demanda muito contato físico e que, por isso, não é possível manter o distanciamento social adequado para evitar a transmissão do coronavírus.


Município ressalta importância de adesão ao ensino híbrido

Embora o retorno presencial não seja obrigatório — os pais podem escolher por manter o estudante no ensino totalmente remoto, caso não se sintam seguros em levá-los à escola neste momento de pandemia —, o secretário de Educação destaca a importância do retorno presencial para o desenvolvimento dos estundantes. “No ensino remoto, é difícil acompanhar o rendimento das crianças. Quando elas voltam, nós temos pronto um processo de avaliação diagnóstica que é aplicado pelos professores e que nos dá um raio-x bem completo sobre as dificuldades que aquela criança tem e isso nos ajuda a acelerar a aprendizagem que, porventura, ficou para trás. Por isso, eu faço esse chamado: pais e mães que tiverem condições, levem seus filhos à escola. Nossas escolas apresentam condições para trabalhar em segurança, dentro dos protocolos. Estamos trabalhando assim desde maio e não tivemos incidentes”, ressalta.

Ainda conforme Adriano, a adesão ao sistema híbrido é bastante variável e depende, principalmente, de fatores relativos a comunidade e aos entornos de onde a escola está inserida. Enquanto na maior parte dos educandários o modelo é aceito por 80% das famílias, em outros, o número é significativamente menor. “O que nós notamos é que a adesão tem crescido nas semanas subsequentes ao início da retomada para cada grupo. Quando os pais veem que outras crianças estão indo e não estão tendo problemas, eles vão ganhando confiança. Nós compreendemos que é uma reação adequada para o momento da pandemia”.

Para aumentar o índice de engajamento, a Secretaria Municipal de Educação pretende realizar um movimento mais contundente de chamamento junto aos pais ou responsáveis de crianças em idade escolar. “Mesmo com a rede ofertando ambiente virtual ou material impresso, temos muitos pais que não acessam a plataforma e não buscam os materiais. Nossa ideia é fazer um movimento forte agora em julho para que eles levem as crianças às escolas ou ofereçam o suporte em casa. Caso contrário, o prejuízo pedagógico é muito grande. Essa é uma corresponsabilidade que precisa ser dividida entre os pais e o município”, alerta o responsável pela pasta.


Cerca de 30% dos alunos têm dificuldade para acessar o ambiente online

O Município estima que cerca de 30% dos estudantes da rede municipal têm dificuldade no acesso às tecnologias, seja por falta de equipamentos ou de internet, um problema que se tornou ainda mais evidente durante a pandemia. Por isso, no último mês, a Prefeitura de Passo Fundo um conjunto de medidas que serão promovidas para qualificar o acesso dessas crianças ao ensino híbrido.

Uma das medidas, denominada “Internet Patrocinada”, deverá garantir o acesso aos ambientes virtuais de aprendizagem com todos os dados pagos pelo Poder Público. Já a campanha “Criança Conectada”, que começa a ser promovida ainda neste mês, buscará o empréstimo ou a doação de notebooks e computadores junto à comunidade. Os materiais serão destinados às crianças que não dispõem desses equipamentos.

Além disso, a Prefeitura de Passo Fundo também anunciou que, até o fim do ano, todas as escolas municipais deverão ter concluída a reestruturação completa da rede com novo cabeamento, para qualificar o acesso à internet, e realizará a compra de novos notebooks para as instituições. Ainda para dar suporte aos educadores, o Município também auxiliará na compra de notebooks pessoais. A Secretaria de Educação fará uma pesquisa de equipamentos e subsidiará com R$ 1 mil a compra dos computadores pelos professores que se habilitarem.

Gostou? Compartilhe