É o Bicho já castrou mais de 6 mil animais pelo programa

Até o fim do ano serão investidos R$ 50 mil mensais em procedimentos, encerrando ciclos de procriação

Por
· 1 min de leitura
 Foto: Diogo Zanatta/PMPF Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Foto: Diogo Zanatta/PMPF
Você prefere ouvir essa matéria?

No início do mês, a Prefeitura de Passo Fundo anunciou seis novas ações para potencializar o programa É o Bicho, que efetiva a proteção animal. A partir de setembro, serão R$ 50 mil mensais, o dobro do que vem sendo aplicado. Desde 2014, mais de 6 mil animais foram castrados gratuitamente.

O prefeito, Pedro Almeida, destaca que o olhar do município à causa é uma preocupação com os animais e um compromisso com protetores independentes. “Uma das primeiras ações da nossa gestão foi aumentar ainda mais os recursos mensais que estavam sendo aplicados e conseguimos que eles chegassem a R$ 25 mil mensais. Mais recentemente, fizemos um anúncio de que, somado a esse valor mensal, teremos mais R$ 100 mil nos últimos meses de 2021, o que dobrará o volume de procedimentos”, mencionou.

Conforme a secretária de Meio Ambiente, Gabriela Engers, a castração é a maneira mais eficaz de evitar a procriação descontrolada de cães e gatos e os maus-tratos. “Com essas 6 mil castrações realizadas até aqui, milhares de animais tiveram o ciclo de procriação interrompido, evitando, assim, o abandono e possíveis maus-tratos. Uma fêmea pode ter dois cios por ano e os seus filhotes podem entrar nesse mesmo curso após os seis meses. Dessa forma, castrando, estamos encerrando um ciclo de novos nascimentos”, avalia.

Outras medidas foram adotadas para proporcionar um aumento no número de procedimentos, como o credenciamento de novas clínicas com valores menores, o que permite um número maior de castrações. “Essa também foi uma ação que já apresenta resultados positivos. Hoje, temos quatro clínicas credenciadas e que efetuam os procedimentos do programa”, salienta Gabriela.


Quem pode solicitar castrações

As castrações são destinadas a animais resgatados por protetores independentes e a animais de pessoas que, inscritas no CadÚnico, não possuem condições para pagar pelos procedimentos. Também são castrados animais a partir de denúncias de maus-tratos, cujas situações são fiscalizadas pela Coordenadoria de Bem Estar Animal. As solicitações pode ser feitas na Secretaria de Meio Ambiente, pelo telefone (54) 3317-25259.

No caso de protetores independentes, é necessário preencher um cadastro fornecido pela Coordenadoria, junto com o envio de documentos solicitados.

A importância dos protetores deve ser ressaltada, pois, de acordo com a secretária de Meio Ambiente, Gabriela Engers, eles fazem a intermediação de procedimentos de animais que necessitam de castração. “Quem desempenha esse trabalho acaba acompanhando a realidade do seu bairro e da cidade. Dessa forma, estimula as pessoas a castrarem os seus animais”, afirma.

A protetora independente Juliana Bolzan mensura a importância dos investimentos no É o Bicho. “As castrações são sempre a nossa demanda principal. Esse aporte fará a diferença”, considera.


Gostou? Compartilhe