Terreno privado na Avenida Brasil pode receber estátua de Bolsonaro

Projeto acontece no momento que presidente pode ser indiciado pela CPI da Pandemia

Por
· 1 min de leitura
O trabalho iniciou há 60 dias e a estátua deve chegar a aproximadamente 6m de altura (Foto: Jabs Paim Bandeira/Rede social)O trabalho iniciou há 60 dias e a estátua deve chegar a aproximadamente 6m de altura (Foto: Jabs Paim Bandeira/Rede social)
O trabalho iniciou há 60 dias e a estátua deve chegar a aproximadamente 6m de altura (Foto: Jabs Paim Bandeira/Rede social)
Você prefere ouvir essa matéria?

Espaços privados na avenida Brasil, principal via de Passo Fundo, estão sendo avaliados para receber uma estátua, de aproximadamente seis metros de altura, do presidente Jair Bolsonaro. A notícia, postada pelo advogado e membro do Comitê pela Vida e Liberdade, o advogado Jabs Paim Bandeira, se espalhou pelas redes sociais nesta quinta-feira (12). A revelação do projeto acontece no momento em que integrantes da CPI da Pandemia afirmam ter elementos para o indiciamento de Bolsonaro. A primeira cidade do país a realizar uma homenagem como essa ao atual presidente contabiliza, segundo dados da prefeitura de Passo Fundo, 663 mortes provocadas pela Covid-19. No Rio Grande do Sul, são 303,703 mil óbitos.

Segundo o advogado, a ideia de construir uma estátua do presidente partiu do produtor rural José Volnei Dal’Maso. O passo seguinte foi procurar o artista plástico Jorge Luiz Grigolo. O trabalho iniciou há 60 dias. As despesas do projeto estão sendo custeadas pelo Comitê. O Sindicato Rural também é um dos apoiadores. Conforme Bandeira, ainda não há um levantamento dos valores já investidos por estar ainda em fase desenvolvimento. Como a estrutura é toda em ferro, ele adiantou que algumas empresas devem colaborar com a doação de metal para a estrutura. 

Convite para 20 de setembro

“Nossa intenção era fazer uma surpresa para o presidente quando ele viesse a Passo Fundo, mas a história vazou para a imprensa e, provavelmente, quando ele vier para a cidade já saberá da homenagem”, disse Jabs. 

O comitê já entregou um convite à assessoria de Bolsonaro para que ele estivesse cumprindo agenda em Passo Fundo no dia 20 de setembro, feriado no Rio Grande do Sul alusivo à Revolução Farroupilha. “Ainda não tivemos uma resposta confirmando a sua vinda, mas há uma grande possibilidade de acontecer” disse. 

CPI da Pandemia já fala em indiciamento do presidente 

A revelação do projeto acontece no momento em que integrantes da CPI da Pandemia afirmam ter elementos para o indiciamento do presidente Bolsonaro. Segundo o vice-presidente da Comissão, senador Randolfe Rodrigues (Rede-AP), Bolsonaro poderá ser enquadrado por homicídio qualificado e por “causar epidemia, mediante a propagação de germes patogênicos”, conforme previsto no Código Penal. Ele fez questão de destacar, no entanto, que se trata de uma opinião pessoal e não de um texto para o relatório final da CPI.

O senador Renan Calheiros (MDB-AL) disse que, como relator, considera importante ouvir a sugestão de Randolfe. Segundo o relator, “provavelmente” o presidente Bolsonaro estará enquadrado em algum crime, “para desespero daqueles que acham que a CPI iria acabar em pizza”.

Gostou? Compartilhe