Cursos da área da Saúde retomam aulas presenciais na UPF

Retorno da modalidade presencial na instituição será gradual

Por
· 2 min de leitura
Estudantes dos cursos da área da Saúde da UPF foram os primeiros a voltar à rotina presencial no Campus I (Fotos: Tainá Binelo/Divulgação UPF)Estudantes dos cursos da área da Saúde da UPF foram os primeiros a voltar à rotina presencial no Campus I (Fotos: Tainá Binelo/Divulgação UPF)
Estudantes dos cursos da área da Saúde da UPF foram os primeiros a voltar à rotina presencial no Campus I (Fotos: Tainá Binelo/Divulgação UPF)
Você prefere ouvir essa matéria?

Nesta segunda-feira (13), um ano e seis meses depois após a suspensão das aulas presenciais, a Universidade de Passo Fundo (UPF) retomou a modalidade presencial para os cursos da área da saúde.

Conforme a instituição, a decisão pelo retorno considerou, entre outros fatores, a situação de pandemia da Covid-19 no país, no estado e na região; o avanço no calendário de vacinação na cidade de Passo Fundo e no entorno; as orientações dos órgãos nacionais, estaduais e municipais, além dos regramentos institucionais; e as características do processo formativo dos cursos da área da Saúde, com disciplinas e atividades práticas já em desenvolvimento presencial, em decorrência do modelo híbrido adotado na Instituição.

O vice-reitor de Graduação da UPF, professor Dr. Edison Alencar Casagranda, considera o momento especial para a instituição. “Estamos muito felizes em receber novamente os nossos acadêmicos de forma presencial e, em breve, esperamos que os estudantes dos demais cursos de graduação também possam retornar. Todo este processo está sendo feito de forma gradual, com todo o planejamento necessário para oferecer um ambiente seguro a todos, respeitando todas as medidas de prevenção e controle para mitigar a disseminação da Covid-19”, destaca o vice-reitor.

Experiência

O distanciamento social, a máscara e álcool gel viraram rotina. Também ocorreram transformações e adaptações no ensino. O ensino remoto veio para ficar e mostrar a força da tecnologia e das inovações. No entanto, a presencialidade é considerada indispensável no processo de aprendizagem. “É uma satisfação enorme voltar às aulas presenciais depois de tanto tempo. Com o retorno das atividades presenciais em sua totalidade conseguimos aproveitar e ter uma aprendizagem muito melhor do conteúdo”, comenta o acadêmico do curso de Educação Física, Gustavo Schuster.

Bianca Rocha Reolão, acadêmica do curso de Odontologia, entrou na Faculdade e, em seguida, veio a pandemia. “Desde o começo da Faculdade, só tive um mês de aulas presenciais. Depois veio a pandemia e não tivemos mais muito contato. Estou muito feliz com a volta às aulas presenciais, porque a gente consegue ter mais contato com os professores e colegas, me sinto mais à vontade em perguntar em sala de aula, porque on-line é mais difícil, né. Espero que seja uma ótima experiência”, observa a estudante.

Foi um período necessário, mas na opinião da acadêmica do curso de Fisioterapia, Larissa Tumelero Lombardi, a presença física é insubstituível. E o campus, aos poucos, recebe a energia dos estudantes novamente. “Eu estou muito animada, queria muito voltar. Senti falta do campus, da energia das pessoas, das minhas amigas. Aprendemos um novo jeito de ver a vida, mas estava na hora de voltar. A gente precisava retornar ao nosso campus, ao nosso prédio, às nossas origens. O nosso curso é humano, é de estar próximo, é de tocar. Claro que com todos os cuidados, mas precisamos voltar. Nada melhor do que estar aqui aprendendo com os colegas e convivendo com as pessoas”, afirma Larissa.

Cursos

Mais de dez cursos da área da saúde retornaram às atividades presenciais: Ciências Biológicas (B), Educação Física (B), Enfermagem (B), Estética e Cosmética (CST), Farmácia (B), Fisioterapia (B), Fonoaudiologia (B), Medicina (B), Medicina Veterinária (B), Nutrição (B), Odontologia (B), Psicologia (B) e Serviço Social (B).

A manutenção das medidas de prevenção e demais orientações podem ser acessadas no site: www.upf.br/coronavirus.

Com informações da Universidade de Passo Fundo

Gostou? Compartilhe