Alemanha proíbe fogos de artifício próximo a centros de refugiados

A Europa, particularmente a Alemanha, recebeu em 2015 mais de um milhão de refugiados de guerra do Oriente Médio e do Norte de África.

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

As autoridades alemãs proibiram fogos de artifício durante as celebrações do Ano Novo nos centros de refugiados, anunciou hoje o governo. Autoridades das regiões de Renânia do Norte-Vestfália, Hesse e Wurtemberg decretaram a medida justificando que os efeitos dos fogos de artifício, típicos nesta época do ano, podem afetar psicologicamente os refugiados que se encontram no país, traumatizados por guerras e perseguições. “Todos aqueles que vieram de áreas de guerra associam o ruído das explosões a tiros e bombardeios e podem ser afetados de forma traumática”, disse um porta-voz da autoridade local da Renânia do Norte-Vestefália, Christoph Sobbler. Os governantes também citam os perigos de incêndio associados ao uso de artefatos explosivos. De acordo com a agência France Press, os incêndios de origem criminosa têm-se multiplicado nas instalações de acolhimento de refugiados sírios, na Alemanha. A Europa, particularmente a Alemanha, recebeu em 2015 mais de um milhão de refugiados de guerra do Oriente Médio e do Norte de África.

Agência Brasil

Gostou? Compartilhe