CRE começa análise dos calendários de recuperação das aulas

Ao total, 24 das 39 escolas estaduais de Passo Fundo terão atividades escolares até janeiro e fevereiro de 2018

Por
· 2 min de leitura
Ano letivo só vai encerrar em janeiroAno letivo só vai encerrar em janeiro
Ano letivo só vai encerrar em janeiro
Você prefere ouvir essa matéria?

Após mais de três meses de greve do magistério, as Coordenadorias Regionais de Educação (CREs) começam a analisar e aprovar as propostas de calendários de recuperação de aulas das escolas afetadas. Em Passo Fundo, das 39 escolas estaduais, 22 devem encerrar o ano letivo de 2017 em janeiro de 2018. As escolas Nicolau de Araújo Vergueiro (Eenav) e a Irmã Maria Margarida estendem suas atividades até dos dias 5 e 7 de fevereiro, respectivamente.
O titular da 7ª CRE, Elton Luiz de Marchi, explica que na região, as escolas que ficaram mais tempo paralisadas, fecharam em torno de 10, 15 dias de greve. “Essas escolas fecharão o ano letivo ainda em dezembro. Exceto Lagoa Vermelha, que estendeu um pouco mais a greve e terão algumas escolas que vão até janeiro”, complementa de Marchi. Como a greve encerrou na sexta-feira (8), a coordenadoria ainda não possuía na segunda-feira os números finais de todas as escolas que terão aulas no próximo ano.
O ano letivo de 2017, que tinha previsão para encerrar até o dia 22 de dezembro, não deverá interferir no calendário de 2018, conforme o coordenador.  “Com o remanejo das turmas do nonos ano do Ensino Fundamental e dos terceiros anos do Ensino Médio, as aulas serão recuperadas sem grandes transtornos. As aulas devem iniciar no dia 20 de fevereiro do ano que vem”, informou.
Férias dos educadores
As férias dos professores, um dos pontos de negociação entre o Cpers/Sindicato e o Governo do Estado, ainda não estão confirmadas, segundo de Marchi.  Os professores têm direito de 45 a 53 dias de férias. Conforme o coordenador há grande chance de serem concedidos 30 dias de férias no início do ano e outros 15 na metade de 2018. Essa questão deveria ser discutida nesta terça-feira (12) em reunião dos coordenadores na Secretaria de Educação (Seduc). Quanto aos contratados que aderiram à greve, de Marchi esclarece que eles deverão repor essas aulas. “Eles receberam para trabalhar e não trabalharam. Se eles não repuserem essas aulas, devem devolver o dinheiro aos cofres públicos”, afirmou.
 Transporte escolar garantido
A Seduc garantiu que os alunos afetados pela greve dos professores da rede estadual terão transporte escolar garantido no período de recuperação de aulas. A secretaria obteve, junto à Secretaria da Fazenda, parecer favorável para aplicar R$ 2 milhões no serviço, mediante realocação do seu orçamento. Na 7ª coordenadoria, haverá subsídios, porém até ontem (11), o levantamento não estava pronto.
As escolas estaduais de 138 municípios foram afetadas com a paralisação. A quantidade e o período de aulas de reposição em cada uma delas estão sendo definidos em tratativas entre a direção das escolas e as Coordenadorias Regionais de Educação (CREs).

Relação parcial das escolas com calendário já definido
Maria Dolores F. Barros – 04/01
Ernesto Tochetto – 05/01
Cecy Leite Costa – 05/01
Monteiro Lobato – 08/01
Joaquim Fagundes dos Reis – 09/01
Maurício S. Sobrinho – 10/01
Monte Castelo – 12/01
Ana Luísa Ferrão Teixeira – 16/01
Professora Eulina Braga – 24/01
Mario Quintana – 25-01
Arco Verde – 22/01
Nicolau de Araújo Vergueiro – 05/02
Irmã Maria Margarida – 07/02

Gostou? Compartilhe