IFSul completa DEZ anos

Mas sua trajetória como referência em educação profissionalizante começa bem antes. São dez anos de instituto, mas um século de história

Por
· 2 min de leitura
Unidade de Passo Fundo foi inaugurada em 2007Unidade de Passo Fundo foi inaugurada em 2007
Unidade de Passo Fundo foi inaugurada em 2007
Você prefere ouvir essa matéria?

O IFSul está de aniversário: uma década de existência! No entanto, não é possível falar sobre o Instituto Federal Sul-rio-grandense sem voltar anos e anos no tempo, mais precisamente um século. Os vínculos da instituição com o passado são muito fortes. Tudo começou em 1917, quando houve a assembleia de fundação da “Escola de Artes e Officios”, criada para oferecer educação profissional para meninos pobres. As aulas, efetivamente, só tiveram início em 1930. Nesse mesmo ano, o município assumiu a instituição e criou a “Escola Technico Profissional” que, posteriormente, passou a se chamar Instituto Profissional Técnico.

 

O Instituto Profissional funcionou até 1940. O prédio foi demolido para a construção da nova escola, na Praça 20 de Setembro, em Pelotas. E em 1942 nascia a Escola Técnica de Pelotas, a ETP -  que hoje é o câmpus Pelotas do IFSul. A inauguração foi em 11 de outubro de 1943, com a presença do presidente Getúlio Vargas. As aulas começaram em 1945, com cursos profissionalizantes de curta duração, como serralheria, carpintaria, marcenaria, alfaiataria, fundição, mecânica de Automóveis e telecomunicações. A partir de 1953, foi criado o primeiro curso técnico da Escola: construção de máquinas e motores.

 

ETFPEL

Em 1959, a ETP é caracterizada como autarquia Federal e, em 1965, passa a ser chamada Escola Técnica Federal de Pelotas, adotando a sigla ETFPEL. Com um papel social muito forte e reconhecidamente destacado na formação de técnicos industriais, a ETFPEL se tornou uma instituição especializada e referência na oferta de educação profissional de nível médio, formando grande número de alunos nas habilitações de mecânica, eletrotécnica, eletrônica, edificações, eletromecânica, telecomunicações, química e desenho industrial.

 

A escola cresce...

Em 1996, a ETFPEL vive um momento histórico: no dia 26 de fevereiro foi colocada em funcionamento a sua primeira Unidade de Ensino Descentralizada (Uned), em Sapucaia do Sul, atualmente campus Sapucaia do Sul. Dois anos depois, a ETFPEL começa a efetivar sua atuação no nível superior de ensino e implanta o de Programa Especial de Formação Pedagógica, destinado à habilitação de professores da educação profissional.

 

Novas possibilidades

Em 1999, mais uma mudança.  Através de Decreto Presidencial, a ETFPEL passa a ser um Centro Federal de Educação Tecnológica de Pelotas (Cefet).  Essa transformação possibilitou a oferta dos primeiros cursos superiores de graduação e pós-graduação, abrindo espaço para projetos de pesquisa e convênios, com foco nos avanços tecnológicos. Em outubro de 2006 foi inaugurada a Unidade de Ensino de Charqueadas e, em 27 de novembro 2007, a Unidade de Ensino de Passo Fundo.

 

E nasce o IFSul

Em 29 de dezembro de 2008 foi criado, a partir do Cefet, o Instituto Federal de Educação, Ciência e Tecnologia Sul-rio-grandense, o atual IFSul, com sede em Pelotas, com natureza jurídica de autarquia, vinculada ao Ministério da Educação.

Nesta mesma data, 31 centros federais de educação tecnológica (Cefet), 75 unidades descentralizadas de ensino (Uneds), 39 escolas agrotécnicas, sete escolas técnicas federais e oito escolas vinculadas a universidades deixaram de existir para formar os Institutos Federais de Educação, Ciência e Tecnologia. Tinha início a da Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica.

De 2008 para cá, o IFSul cresceu. De quatro câmpus antes de integrar a Rede Federal, agora são 14. O instituto está presente em 13 cidades: Bagé, Camaquã, Charqueadas, Gravataí, Jaguarão, Lajeado, Novo Hamburgo, Passo Fundo, Pelotas (com dois câmpus), Santana do Livramento, Sapiranga, Sapucaia do Sul e Venâncio Aires.

 

Rede Federal

A Rede Federal de Educação Profissional, Científica e Tecnológica. Atualmente é formada por 644 câmpus espalhados pelo país, com mais de um milhão de estudantes matriculados e cerca de 70 mil servidores, entre professores e técnico-administrativos. Além de oferecer educação profissional gratuita em diversas modalidades e níveis de ensino, os institutos federais promovem a pesquisa aplicada e a inovação tecnológica.

Gostou? Compartilhe