Congresso Brasileiro de Buiatria reúne mais de 550 participantes

Evento realizado na UPF é um dos maiores do país na área de Medicina Veterinária

Por
· 2 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

O XIII Congresso Brasileiro de Buiatria, realizado pela primeira vez em solo gaúcho, na cidade de Passo Fundo, teve sua abertura oficinal na noite de terça-feira, 10 de setembro. O evento é realizado pela Universidade de Passo Fundo (UPF), em parceria com a Associação Brasileira e a Associação Gaúcha de Buiatria. A atividade conta com mais de 550 participantes oriundos de 20 estados brasileiros e promove 42 palestras e diversas oficinas relacionadas à área de Medicina Veterinária. Além disso, participam do Congresso palestrantes do Brasil, dos Estados Unidos, da Espanha, da Argentina e do Uruguai, que são referência em diversos segmentos da área.


A buiatria é um campo da Medicina Veterinária que estuda e trabalha especificamente com animais ruminantes, como é o caso de bovinos, bubalinos, ovinos e caprinos. Segundo o professor do curso de Medicina Veterinária da UPF e atual presidente da Associação Brasileira e Gaúcha de Buiatria, Ricardo Zanella, promover o evento no Rio Grande do Sul foi uma conquista muito grande para a buiatria gaúcha e que só foi possível devido ao apoio da Prefeitura Municipal de Passo Fundo e da UPF. “Essa é a primeira vez que estamos trazendo esse evento para o estado, então, é uma conquista muito grande para nós, que fundamos uma Associação de Buiatria Gaúcha há pouco tempo.


Para a reitora da UPF, professora Bernadete Maria Dalmolin, é uma alegria a Universidade fazer parte de um evento desse porte. "É muito importante podermos oferecer a esse grande público um conjunto de trabalhos no campo científico, ouvir os conferencistas sobre aquilo que há de mais evoluído nesse campo e ao mesmo tempo dar continuidade a esse vínculo entre a ciência e a realidade do campo", disse.


Melhoramento leiteiro em debate
A região de Passo Fundo abriga 60% da bacia leiteira do Rio Grande do Sul. A palestra de abertura contou com a participação de João Walter Durr - Council on Dairy Cattle Breeding, que falou sobre as “Perspectivas para o melhoramento leiteiro após uma década de avaliações genômicas”. Conforme Durr, a produção leiteira, tipicamente de produção familiar, vem se transformando aos poucos. “Hoje, a grande razão pela qual se aumenta a produtividade é a gestão da propriedade que evolve tanto a parte financeira quanto questões relacionadas a pastagens, alimentação e genética dos rebanhos. Trabalho na área de genética nos EUA, então, se busca selecionar animais que venham não apenas produzir mais leite, mas animais que sejam mais saudáveis, que tenham uma vida produtiva maior, que se adaptem ao ambiente, tendo uma qualidade de vida melhor e que atinjam as expectativas do consumidor”, explicou.

 

Segundo o palestrante, o consumidor de leite no mundo inteiro está mais preocupado em saber como o alimento é produzido, quais são as consequências não apenas para o consumo humano, mas para os animais da cadeia de produção, por isso, é importante fazer com que a produção de leite seja compatível com as expectativas do mercado. “O grande desafio é essa profissionalização do produtor para que tenha uma produção econômica e que essa qualidade do leite seja compatível com os objetivos sanitários e do consumidor”, finalizou.
O XIII Congresso Brasileiro de Buiatria termina hoje. A programação completa do evento pode ser acessada pelo link https://www.congressobuiatria.com.br/.

 

Coffee Break é produzido pelo Cepa UPF
Os participantes do Congresso poderão apreciar os alimentos produzidos dentro da UPF. A produção do coffee break para o Congresso foi feita principalmente pelo Laboratório de Cereais do Centro de Pesquisa em Alimentação (Cepa/UPF), com a participação do curso de Engenharia de Alimentos. Foram produzidos pães rústicos, hambúrgueres, cucas, bolos, iogurtes, doces de leite, mini pizzas, entre outros salgados e doces.

Gostou? Compartilhe