Secretaria de Saúde espera imunizar 11 mil crianças

Campanha Nacional de Vacinação iniciou na segunda e se estende até 25 de outubro

Por
· 3 min de leitura
Doses estão disponíveis em 26 salas de vacina no municípioDoses estão disponíveis em 26 salas de vacina no município
Doses estão disponíveis em 26 salas de vacina no município
Você prefere ouvir essa matéria?

A Secretaria Municipal de Saúde de Passo Fundo pretende imunizar cerca de 11 mil crianças de seis meses até menores de 5 anos contra o vírus do sarampo até o dia 25 de outubro, data na qual encerra-se a Campanha Nacional de Vacinação contra a doença infecciosa.


Iniciada na segunda-feira (07) em todos os postos de saúde do país, a aplicação das doses vai abranger dois grupos prioritários com faixas etárias distintas. O primeiro, centralizado nas crianças e com a imunização gratuita já disponível nas centros de saúde públicos, terá o Dia D de Vacinação no sábado (19), onde os profissionais de saúde devem atender os pequenos pacientes para a avaliação do calendário vacinal, como explica a enfermeira responsável pelo Núcleo de Vigilância Epidemiológica da Secretaria de Saúde, Raquel Carneiro. "A meta é imunizar 95% desse público-alvo", projeta. Para o segundo grupo, com faixa etária de 20 a 29 anos e que não estão com a caderneta de imunização em dia, a vacinação está prevista para iniciar no dia 18 de novembro com cerca de 30 mil doses disponíveis para aplicação em adultos residentes no município. O Dia D para esse segmento populacional será no dia 30 de novembro.


De acordo com Raquel, não há registro de casos confirmados ou em monitoramento pelos órgãos de saúde no município, embora a Secretaria de Saúde do Rio Grande do Sul tenha confirmado mais quatro diagnósticos da doença no estado. Com isso, segundo o Boletim Epidemiológico divulgado na sexta-feira (4), já são 13 gaúchos contaminados pelo vírus do sarampo neste ano.


Antivax
Doença erradicada no território brasileiro em setembro de 2016, quando a Organização Pan-Americana de Saúde (OPAS) certificou a América como primeira região livre da doença no mundo, o contágio por sarampo disparou no último ano, sobretudo no estado de São Paulo, e acendeu um alerta nos especialistas em saúde pública. O movimento antivacina, conforme avalia a médica infectologista do Hospital de Clínicas de Passo Fundo (HC), Clarissa Giaretta Oleksinski, contribuiu para o aumento no número de casos. "A população tende a acreditar em informações que não são fidedignas. As vacinas são seguras. Elas não tem a capacidade de provocar doenças ou autismo", enfatiza. "Quando a gente observa esses casos voltando, como aconteceu anos atrás com a caxumba, é o nosso maior argumento [sobre a necessidade de vacinação]", pondera.
A imunização tríplice viral, como mencionou ainda, é a única forma de profilaxia contra a enfermidade de evolução benigna que provoca lesões, inicialmente, na boca e irradia para as demais partes do corpo. "São sintomas característicos que podem evoluir para uma infecção secundária. Bacteriana, por exemplo. Não existe uma medicação específica, mas um tratamento de suporte", explica a médica.


A meta do Ministério da Saúde, em um âmbito geral, é vacinar 2,6 milhões de crianças na faixa prioritária e 13,6 milhões adultos. Para isso, a pasta garantiu a maior compra de vacinas contra o sarampo dos últimos 10 anos, segundo informações da Agência Brasil. Ao todo, 60,2 milhões de doses da tríplice viral foram adquiridas para garantir o combate à doença nos municípios.


Vacinas em 26 postos
Em Passo Fundo, 26 salas de vacina serão abertas para a imunização contra o sarampo: ESF Adolfo Groth; ESF Caic Edu Azambuja; Cais São Cristóvão; Cais Boqueirão; Central de Vacinas, Ambulatório Especialidades; UBS Jardim América; ESF José Alexandre Zachia; ESF Jaboticabal; Cais Petrópolis; ESF Operária; ESF Jerônimo Coelho; Cais Hípica; ESF Planaltina; ESF São Cristóvão; Ambulatório São Luiz Gonzaga; Ambulatório São José; ESF Santa Marta/ESF Donária; UBS Vila Nova; ESF Valinhos; Cais Luiza; ESF Vila Mattos; ESF Ricci; ESF Nenê Graeff; UBS Ivo Ferreira; UBS Adirbal Corralo.


Horários de atendimento nas unidades com sala de vacinas:
UBS/ESF – das 8h às 11h30 e das 13h às 16h30, de segunda a sexta-feira
CAIS/Central – das 8h às 18h, de segunda a sexta-feira
Segundo a Secretaria de Saúde, a dose zero será aplicada em crianças com 6 meses a menor de 12 meses; duas doses em pacientes com 12 meses até 29 anos (11 meses e 29 dias) e dose única em adultos com faixa-etária entre 30 anos até 49 anos.

Gostou? Compartilhe