Protagonismo estudantil na tela grande

I Festival Escolar de Cinema premia 17 curtas a partir de segunda-feira (28)

Por
· 1 min de leitura
Você prefere ouvir essa matéria?

As palavras ganharão vida nas projeções que devem iluminar o Teatro Municipal Múcio de Castro, a partir de segunda-feira (28), com a criatividade de adaptação a obras clássicas da literatura universal feita por jovens estudantes matriculados em quatro centros de ensino de Passo Fundo durante o I Festival Escolar de Cinema.


A exibição dos curtas produzidos pelos alunos das Escolas Marista Conceição; Ensino Médio Integrado da Universidade de Passo Fundo; Colégio Salvatoriano Bom Conselho e Colégio Tiradentes da Brigada Militar será realizada a partir das 19h30min dos dias 28 e 29 de outubro. Na quarta-feira (30), a Comissão Avaliadora divulgará as cinco produções audiovisuais de curta duração indicados em cada categoria para concorrer aos prêmios de melhor filme, direção, ator, atriz, sonoplastia, direção de arte, fotografia, pôster e roteiro. O anúncio dos vencedores será na noite de quinta-feira (31), também no Teatro Municipal Múcio de Castro, a partir das 19h30min.


A simulação da cerimônia do Oscar — tradicional entrega da estatueta que consagra as melhores produções da indústria cinematográfica — terá, também, a passagem dos alunos pelo tapete vermelho e produção fotográfica, como conta o secretário municipal de Cultura, Henrique Fonseca. "“Queremos estimular a produção cinematográfica de cunho educativo e cultural valorizando a escola, os professores e, claro, uma motivação ainda maior através deste festival para fazer com que os alunos se apropriem de uma linguagem cada vez mais inserida na rotina dos processos de aprendizado”, afirmou.


O evento de gala, promovido pela Prefeitura de Passo Fundo, através da Secretaria de Cultura, em parceria com a Faculdade de Artes e Comunicação da UPF (FAC/UPF), vai agraciar os vencedores, em cada categoria, com o prêmio Vasco Prado, oferecido pela coordenação das Jornadas Literárias. “Ao aprenderem sobre o audiovisual, os alunos abrem os olhos para uma linguagem que cerca o dia a dia deles e que eles não estavam acostumados a ver com atenção. É importante também por mostrar que tanto quanto saber ler o texto é importante entender a mensagem da imagem e do som, que afeta eles todos os dias”, observou o professor do curso de Jornalismo da Universidade de Passo Fundo, e coordenador do projeto de extensão Ponto de Cinema, Fábio Rockenbach.


Os curtas selecionados para o I Festival de Cinema Escolas, como a adaptação da obra "Cem Anos de Solidão", do escritor colombiano Gabriel Garcia Márquez e "Vidas Secas", de Graciliano Ramos, tiveram orientação de professores com tempo mínimo de 5 minutos e máximo de 20 minutos.

Gostou? Compartilhe