Pacientes isolados por Covid-19 são monitorados pela Medicina da IMED

Programa de Matriciamento foi criado para atender à demanda do Hospital de Clínicas por acompanhamento de pacientes e familiares, que estão em isolamento domiciliar

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:
Você prefere ouvir essa matéria?

Buscando contribuir com a cidade de Passo Fundo e a região, no enfrentamento ao COVID-19, os alunos do Curso de Medicina da IMED estão inseridos em várias frentes de trabalho e de auxílio à população. Uma delas é o Programa de Matriciamento em Telemonitoramento dos pacientes com necessidade de isolamento domiciliar, juntamente com sua família, por conta da síndrome gripal, que é recomendado pelos protocolos do Ministério da Saúde em meio a pandemia causada pelo novo coronavírus.
“A ideia de realizarmos esse matriciamento surgiu a partir da necessidade do Hospital de Clínicas de Passo Fundo, nosso Hospital Escola do Curso de Medicina da IMED, em seguir as normativas do Ministério da Saúde, uma vez que todo paciente que é atendido com síndrome gripal, sejam ele suspeito de COVID-19 ou não, precisa ser monitorado, pois muitas vezes ele pode apresentar a piora no seu quadro e precisa ter um acompanhamento para orientá-lo quanto ao que deve ser feito”, explica o professor Lucas Duda Schmitz, cirurgião digestivo e Coordenador do Internato do Curso de Medicina da IMED.
Como funciona
As ligações para os pacientes são realizadas num período de 24 a 48 horas, sendo que os pacientes também podem entrar em contato com a equipe de matriciamento 24 horas por dia. Em todos os turnos, há uma escala de alunos que são supervisionados diretamente por professores da IMED que dão suporte a esses monitoramentos, sempre acompanhando o prontuário médico disponível no arquivo do hospital.
Além da questão clínica, o Programa de Matriciamento também fornece auxílio psicológico. “A gente fornece também orientações e apoio emocional, tanto para o paciente, quanto para a família durante esses 14 dias de isolamento domiciliar e que estão sendo acompanhados pela gente”, destaca Saraiva.
Após os 14 dias, os pacientes recebem alta médica do programa, o que permite que novos pacientes sejam atendimentos conforme o encaminhamento do hospital.
Os alunos que estão no 11º nível da graduação foram direcionados para essas novas atividades, decorrentes da pandemia do COVID-19 em escala mundial. Os atendimentos são registrados e acompanhados de forma a seguir a legislação e estão em pleno funcionamento dentro da estrutura do Hospital de Clínicas de Passo Fundo.

Gostou? Compartilhe