Após impasse na negociação salarial, trabalhadores consideram greve

Na manhã de ontem, a categoria atrasou a saída dos ônibus, que começaram a circular por volta das 8h em Passo Fundo

Escrito por
,
em
Usuários foram afetados com a falta do serviço nas primeiras horas da manhã

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Trabalhadores do transporte público coletivo podem entrar em greve nas próximas semanas. A informação foi confirmada pelo presidente do sindicato que representa a categoria, (Sindiurb), Miguel dos Santos Silva. A categoria está revoltada com a situação das negociações do reajuste salarial. Na manhã de ontem (17), os funcionários bloquearam a saída na garagem da Coleurb por três horas. Os usuários do transporte tiveram acesso ao serviço somente por volta das 8h da manhã.


De acordo com o presidente do sindicato, Miguel dos Santos Silva, já foram feitas duas reuniões com a empresa, uma em março e a outra no início desta semana. “Eles não apresentaram proposta de salário para nós, alegando que não têm de onde tirar [o recurso], porque não houve aumento no valor da tarifa e a licitação do transporte está parada. Só que os trabalhadores não têm culpa, a inflação está corroendo o salário e os trabalhadores se revoltaram”, explica Silva.


O atraso não foi organizado pela entidade, mas pelos próprios funcionários. “O pessoal nos questionou do porquê de não termos avisado da paralisação, mas nós também não sabíamos. Fizemos a assembleia para informar da situação das negociações com a empresa e eles se indignaram e atrasaram a saída. Nosso papel é representar o trabalhador e é isso que nós vamos fazer”, resumiu o presidente. Em virtude do impasse nas negociações, o sindicato já planeja uma possível paralisação. Nova assembleia será realizada no fim desta semana para discutir pela adesão ou não à greve.


O que diz a empresa
A Colerub afirma que há um impasse na questão do reajuste salarial, mas que a negociação está em aberto. “As empresas pediram compreensão das entidades para não realizar qualquer tipo de paralisação, mas infelizmente hoje já teve essa paralisação na primeira hora da manhã e nós estamos aguardando para ver se, de alguma forma, consegue avançar na negociação”, declarou o advogado da empresa, Benoni Rossi, na manhã de ontem.

 

Valor da passagem
Tradicionalmente, o valor da passagem do transporte é reajustado no início do ano. Porém, neste ano, não houve o repasse. Rossi informa que não há qualquer perspectiva de avanço no aumento da tarifa e por isso a empresa tem dificuldade em avançar na negociação com os trabalhadores. A Prefeitura de Passo Fundo informou que até o momento não havia recebido nenhuma solicitação das empresas para discussão do repasse no valor da tarifa. Quando o Executivo recebe essas demandas, encaminha ao Conselho Municipal de Transportes que analisa os valores solicitados pelas empresas nas planilhas. O valor da passagem atualmente é R$ 3,25.

 

Licitação suspensa
Paralelo a isso, o processo licitatório para a concessão do serviço de transporte coletivo de Passo Fundo está suspenso desde o ano passado. No dia 30 de novembro, apenas uma empresa demonstrou interesse em participar da licitação do transporte público de Passo Fundo. A Stadtbus Transportes Ltda., de Santa Cruz do Sul, apresentou o valor de R$ 3,03 para a tarifa dos coletivos urbanos. No dia 11 de dezembro, o município informou que a Stadtbus passou pela segunda etapa do processo.


A Coleurb, uma das empresas que presta o serviço atualmente, entrou com processo judicial pedindo a suspensão do processo licitatório. No dia 18 de dezembro, uma liminar suspendeu o edital. A decisão foi da juíza Rossana Gelain, no âmbito da Vara da Fazenda Pública de Passo Fundo. A magistrada esclareceu que é preciso verificar a informação de que a empresa Stadtbus está realmente impedida de participar do processo já que dois de seus sócios teriam sido condenados anteriormente por improbidade administrativa.


A Stadtbus entrou com ingressou com Agravo de Instrumento no Tribunal para tentar derrubar a liminar que suspendia o processo licitatório. Porém, em janeiro, o desembargador do TJ-RS Irineu Mariani negou liminar à Stadtbus, que defendia a continuidade do processo licitatório. A decisão foi proferida no dia 25 e publicada no dia 31 de janeiro.


A Coleurb também buscou parecer do Tribunal de Contas do Estado (TCE), depois que o município negou rever o edital. Um dos itens questionados é a exigência do motor traseiro ou central nos veículos. Esta determinação, segundo relatou a empresa em outra ocasião, inviabiliza a realização do cálculo tarifário, responsável pelo valor da passagem, por apresentar despesas diferentes. A prefeitura chegou a manifestar sobre isso dizendo que 'poderia' ser veículo com motor dianteiro, mas não fez a devida alteração no edital, gerando uma situação duvidosa para o cumprimento futuro do contrato.


No início de fevereiro, uma decisão cautelar expedida pelo conselheiro Alexandre Postal, do TCE, determinou que a prefeitura de Passo Fundo se abstenha de efetuar a contratação da empresa declarada vencedora da Concorrência Pública do Transporte Público, a Stadtbus. A cautelar tem efeito até o final da inspeção especial feita pelo TCE. O Município entrou com recurso no TCE, que foi negado. O processo segue tramitando no órgão.

Gostou? Compartilhe