Câmara faz sessão solene pelos 50 anos da UPF

Proposição feita pelo vereador Márcio Patussi intregra as comemorações do cinquentenário da instituição

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os 50 anos da Universidade de Passo Fundo foram homenageados pela Câmara de Vereadores na noite de segunda-feira (19. A homenagem foi proposta pelo vereador Marcio Patussi (PDT). Patussi relatou sobre o processo que deu origem à instituição em meados dos anos de 1950. Na época, atuava na cidade a Sociedade Pró-Universidade, que mantinha a Faculdade de Direito, e o Consórcio Universitário Católico, com os cursos de Filosofia, Pedagogia e Letras Anglo-Germânicas. A fusão das instituições e, então, a criação da Fundação Universidade de Passo Fundo foram fatores determinantes para que em junho de 1968, através de um decreto de criação publicado no Diário Oficial, fosse instituída a primeira instituição de ensino superior do norte gaúcho.


O marco educacional ocasionado no município em razão da criação da UPF é, para o reitor da instituição, José Carlos Carles de Souza, a “obra mais destacada e significativa para a comunidade nos últimos 50 anos”. Segundo ele, ela está em permanente construção, na busca de uma relação mais firme e intensa com a comunidade. “Continuamos construindo a nossa Universidade com o mesmo comprometimento dos homens do passado, que foram visionários”, disse, citando o médico César José dos Santos, então presidente da Sociedade Pró-Universidade e Dom Cláudio Kolling, que comandava o Consórcio Universitário Católico. “Os dois carregavam o mesmo sonho e congregaram os homens mais expoentes da época para essa empreitada”.


Ao longo dos anos, a UPF deixou de alavancar apenas o desenvolvimento passo-fundense, expandindo sua estrutura aos municípios vizinhos. Da mesma forma, ampliou sua atuação junto ao ensino, a pesquisa, a extensão e a inovação tecnológica, recebendo destaque não só no Rio Grande do Sul. Hoje ela figura entre as principais instituições privadas no estado, na 16ª posição entre as privadas do Brasil e em 73º lugar geral entre públicas e privadas em todo o país, segundo o Ranking Universitário da Folha, publicado em 2017.


“Esse processo educacional, que fez o Norte gaúcho ganhar visibilidade, vem sendo impulsionado todos os dias, com cada nova conquista que a Universidade de Passo Fundo traz aos seus estudantes. Com a qualificação do ensino, da pesquisa, da extensão e da inovação tecnológica, pilares que norteiam as ações da Universidade. Com a estrutura multicampi, que regionalizou o ensino. Com a oferta de professores capacitados - mais de 79% do corpo docente tem mestrado e/ou doutorado. E, ainda, com o envolvimento da UPF não só em questões educacionais”, declarou Patussi, ao citar, por exemplo, a parceira da Universidade com a Câmara, na busca de recursos e obras para o município.


Ele ainda lembrou sobre os desafios em ofertar o ensino superior ao longo das cinco décadas e mencionou que a própria política educacional, muitas vezes, prejudicava a oferta da modalidade. Mas, na contramão das dificuldades, a UPF se consolidou como potência educacional, responsável pela formação de mais de 75 mil profissionais.


O presidente do Legislativo, vereador Pedro Daneli (PPS) enfatizou que é um orgulho ao Parlamento estar à frente de iniciativas que valorizem e impulsionem o desenvolvimento de Passo Fundo. Ao encontro de Daneli, o prefeito municipal, Luciano Azevedo, considerou que a criação da instituição é um grande marco da cidade e de todo o norte do Estado. “Homenagear a UPF, como faz hoje a Câmara de Vereadores, é valorizar tudo aquilo que houve de crescimento e desenvolvimento em Passo Fundo e no norte do Estado nos últimos 50 anos”.

Gostou? Compartilhe