Campanha de vacinação contra a gripe começa na segunda-feira

Em Passo Fundo, cerca de 70 mil doses devem ser disponibilizadas para os grupos de risco

Escrito por
,
em
Vacina estará disponível em 24 unidades de saúde do município

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Organizada pelo Ministério da Saúde, a campanha de vacinação contra a gripe começa na próxima segunda-feira (23) e deve atender cerca de 70 mil pessoas em Passo Fundo. Em todo o Estado, a expectativa é de que mais de 3,6 milhões de pessoas recebam a dose anual da vacina. A imunização gratuita está disponível para as pessoas que integram os grupos de risco, considerados mais propensos a desenvolver casos graves de gripe, quando em contato com o vírus influenza (H1N1, H3N2 e B). Em Passo Fundo, a meta é vacinar pelo menos 90% das pessoas que se enquadram nestes grupos.


Segundo a coordenadora do Núcleo de Vigilância em Saúde do município, Marisa Zanatta, a estimativa de pessoas a serem contempladas com a vacina tem como base os dados do ano passado, quando 72 mil habitantes foram imunizados contra a gripe e a cobertura alcançou 87% de uma meta de 90% para grupos prioritários. “O número de doses disponibilizadas é muito variável, mas podemos esperar por volta de 70 mil doses. No ano passado tivemos um pouco a mais do que o normal e, como tínhamos quase atingido a meta, abrimos a distribuição das doses para a população em geral”. Da mesma forma, se neste ano sobrarem doses após a meta ter sido alcançada, a vacina ficará disponível para toda a população. Enquanto isto não acontece, indivíduos que não se encaixam em nenhum grupo de risco podem procurar a imunização em clínicas particulares.


A vacina protege contra os três tipos de influenza (H1N1, H3N2 e B) e deve ser renovada anualmente. O Ministério da Saúde garante que o método é seguro e não causa gripe naqueles que forem vacinados. Para receber a dose, basta comparecer a uma Unidade Básica de Saúde (UBS) com um documento de identificação; carteirinha de vacinação, no caso de crianças; atestado médico, em caso de comorbidades; e cartão do Sistema Único de Saúde (SUS), se possível. A campanha se estende até o dia 1° de junho. Além disso, no sábado do dia 12 de maio todas as unidades de saúde que oferecem a vacina estarão abertas das 8h às 17h, em uma mobilização nacional denominada “Dia D”, que tem como foco vacinar o maior número possível de pessoas.


Descentralização
Seguindo uma proposta de descentralização, que visa tornar a campanha mais acessível para a população de regiões periféricas, a vacina estará disponível nas 24 unidades de saúde passo-fundenses que contam com salas de vacinação. Ao contrário de anos anteriores, no entanto, a Central de Vacinação não integra a campanha. “Esse ano não vai ter nela porque é um ambiente bem pequeno, que tem serviços específicos - por exemplo, alguns tipos de vacinas só são feitas ali - e, principalmente, por ser uma unidade voltada mais para o recém-nascido. Não temos como misturar o público de uma campanha, que é muito grande e abrangente, com bebês recém-nascidos”, esclarece Zanatta. Os grupos prioritários residentes do Centro devem buscar as unidades mais próximas, como o Ambulatório de Especialidades, o CAIS Petrópolis, o CAIS Luiza e a UBS Adirbal Corralo.


As outras unidades que integram a campanha são: CAIS Boqueirão, CAIS Hípica, CAIS São Cristóvão, ESF Adolfo Groth, ESF Caic, ESF Adriana Lírio, ESF Mattos, ESF Nenê Graeff, ESF Planaltina, ESF Ricci, ESF Santa Marta/Donária, ESF Valinhos, ESF São Cristóvão, ESF Zácchia, ESF Jerônimo Coelho, UBS Jardim América, UBS Ivo Ferreira, UBS Vila Nova/ Santa Maria, Ambulatório Especialidades, Ambulatório São José e Ambulatório São Luiz Gonzaga.


Situação Epidemiológica
De acordo com o boletim epidemiológico mais recente, com dados que constam até o dia 9 de abril, neste ano o Rio Grande do Sul já registrou sete casos confirmados de hospitalizações por gripe influenza, sem nenhum óbito. Os registros representam queda significativa quando comparados ao mesmo período de 2017, quando 15 casos e um óbito já haviam sido confirmados. No total, o ano passado fechou com 440 casos de influenza no Estado, tendo sido sete destes registrados em Passo Fundo.


Grupos de risco
- Indivíduos com 60 anos ou mais de idade;
- Crianças na faixa etária de 6 meses a menores de 5 anos de idade;
- Gestantes;
- Puérperas (até 45 dias após o parto);
- Trabalhadores da saúde;
- Povos indígenas;
- Grupos portadores de doenças crônicas não transmissíveis e outras condições clínicas especiais;
- Adolescentes e jovens de 12 a 21 anos de idade sob medidas socioeducativas;
- População privada de liberdade e funcionários do sistema prisional;
- Professores das escolas públicas e privadas.

Gostou? Compartilhe