Celic muda data para recebimento de propostas

Agora marcado para o dia 27 de agosto, esta é a segunda vez, dentro de um mês, que o edital é reagendado. O motivo é o grande número de pedidos de esclarecimentos que chegaram à pasta

Escrito por
,
em
A construção de um novo terminal faz parte do projeto

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O edital de licitação das obras de melhorias do Aeroporto Lauro Kortz teve a data reagendada pela segunda vez na sexta-feira (27).

O recebimento das propostas ficou para o dia 27 de agosto, com abertura da sessão às 10h. O motivo é o número de pedidos de esclarecimentos que chegaram à pasta nos últimos dias. De acordo com a Subsecretaria da Administração Central de Licitações (Celic), o número de solicitações ainda não foi contabilizado. Quando o edital foi lançado, o recebimento das propostas estava marcado para o dia 31 de julho. Na metade deste mês, porém, o órgão publicou um aviso alterando para o dia 2 de agosto.


A licitação funciona por regime diferenciado de contratação (RDC). A empresa ou consórcio que vencer o certame ficará responsável pela elaboração dos projetos executivos e a execução das obras. O investimento é de R$ 55 milhões, dos quais 97% provenientes da União, pelo Programa Nacional de Aviação Regional (PDAR), e 3% do Estado. O gerenciamento da licitação fica a cargo do governo estadual. O prazo de vigência previsto pelo termo de compromisso é de 22 meses, conforme o Ministério dos Transportes.


A reforma e ampliação do Aeroporto Lauro Kortz abrange a construção de novo terminal de passageiros com 2,1 mil metros quadrados, esteira de carregamento de bagagens, instalação de equipamentos para melhorar os pousos e decolagens das aeronaves (especialmente em dias de neblina ou chuva), ampliação das cabeceiras, novo pátio de aeronaves, pista de taxiamento para até seis aeronaves e capacidade de atendimento de até um milhão de passageiros por ano.


Etapas da licitação
O processo licitatório inicia com a entrega, em envelope lacrado, das propostas das empresas. Após, a comissão faz a avaliação e escolha das propostas, cujo critério de julgamento é o maior desconto. As três melhores propostas são classificadas, passando à disputa aberta com apresentação de lances sucessivos. A comissão convidará individualmente as licitantes, de forma sequencial, para apresentar seus lances.
A empresa que ficar com a melhor colocação nesta etapa será convocada para apresentar os documentos de habilitação. Após esse período, a comissão abre prazo para pedidos de esclarecimento, impugnação e recursos. Nesta fase as empresas podem pedir a revogação ou cancelamento do edital de licitação. Caso não tenha nenhum impedimento, o certame entra na fase de encerramento, com a homologação da empresa vencedora, assinatura do contrato e início das obras.


Reivindicação de anos
No fim de junho, o governador José Ivo Sartori veio a Passo Fundo para assinar o edital de licitação das obras do Lauro Kortz. A solenidade de lançamento foi realizada no auditório da Universidade de Passo Fundo (UPF). As autoridades presentes definiram o lançamento como um ato importante e oriundo de um esforço coletivo, já que a ampliação do aeroporto é reivindicação antiga da região.


Em 2013, a esperança de melhoria na infraestrutura do Lauro Kortz foi alimentada quando o governo federal incluiu o aeródromo de Passo Fundo no Programa de Investimentos em Logística para aeroportos regionais. Desde aquele anúncio, organizações passaram a discutir sobre os impactos ambientais da obra. Após diversas visitas e promessas, em março de 2016, o governador José Ivo Sartori entregou a licença ambiental emitida pela Fundação Estadual de Proteção Ambiental (Fepam) para ampliação. Ainda que o recurso federal estivesse garantido, com o processo de impeachment, a troca de governo e o tumulto político em Brasília, houve um vácuo de tempo sem que as etapas burocráticas até o lançamento do edital de licitação andassem.

Gostou? Compartilhe