Como construir uma cidade educadora

Educação municipal debate a escola como agente principal de transformação

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Prefeitura de Passo Fundo, através da Secretaria de Educação, em parceria com a Divisão de Extensão e Assuntos Comunitários da Universidade de Passo Fundo (UPF) realizou nessa semana o I Encontro sobre Cidades Educadoras e Inteligentes para a rede municipal de ensino. Com o tema “A escola como agente para a construção de uma cidade educadora”, o encontro aconteceu no auditório do Parque Ambiental Banhado da Vergueiro.

Direcionado para os coordenadores e os diretores da rede municipal de ensino, o objetivo foi promover a reflexão e a busca de ações educativas, na qual as escolas possam assumir o território, a comunidade e seu entorno como campo de estudo e práticas pedagógicas.

De acordo com a coordenadora do evento, a professora Luciane Dadia Rodrigues, a educação é uma tarefa partilhada entre família e escola, mas também muitos outros agentes formam esse cenário para um novo sistema educativo que vai acompanhar toda a vida do cidadão. “No dia a dia comprovamos que é inquestionável o desenvolvimento da nossa cidade, dos espaços públicos, das áreas de esportes, das questões do meio ambiente e da saúde, além das que se referem à mobilidade, à segurança, aos diferentes serviços da cidade, aos meios de comunicação, entre outros, que são vetores de educação para a cidadania. A escola é um dos agentes desse processo, por isso, a necessidade da reflexão e de ações para responder aos desafios da atualidade”, disse. 

As escolas tiveram uma participação efetiva no painel com o professor Dr. Márcio Taschetto da Silva, coordenador do Programa Cidades Educadoras (UPF), a arquiteta da Secretaria de Planejamento da Prefeitura, Sibele Fiori, e a professora Dra. Fabiane Verardi Burlamaque, coordenadora da Jornada Nacional de Literatura. O grupo dinamizou o trabalho com a contribuição de relatos de experiências das escolas da rede municipal de ensino.

Gostou? Compartilhe