Corsan planeja ampliar captação de água em Passo Fundo

Construção de nova barragem no Capingui será uma medida de prevenção em casos de estiagem. Estatal espera publicar o edital de licitação ainda neste ano

Escrito por
,
em
A nova barragem ficará próxima àquela existente do Capingui

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Uma nova barragem de captação de água está sendo planejada pela Companhia Riograndense de Saneamento (Corsan) para Passo Fundo. O projeto, que terá um investimento de R$ 100 milhões, é uma resposta ao crescimento vegetativo do município e uma medida de prevenção em casos de estiagem. A expectativa é licitar a obra ainda neste ano, conforme o superintendente regional da Corsan Planalto (Surpla), Aldomir Antônio Santi.


O planejamento da Superintendência é iniciar as obras no próximo ano. Por tratar-se de uma construção complexa, a estimativa é que o trabalho leve no mínimo dois anos. A nova barragem ficará próxima àquela existente do Capingui. O reservatório fornecerá água só em casos de emergência, já que o abastecimento continua sendo feito pelas demais represas. O projeto contará com uma adutora (tubulação de condução de água) que passará pelo Rio Jacuí e irá até uma estação, que será construída como parte do projeto, na Vila Matos.


O projeto foi elaborado a partir de um estudo de viabilidade. “Foi contratada uma empresa, que fez um estudo e chegou à conclusão que a melhor alternativa é buscar recurso hídrico no Capingui. Foi estudada a possibilidade de aumentar a barragem do Miranda, mas não era viável. A barragem da Fazenda também não tinha como, porque a nascente é muito fraca. Não adianta fazer um barramento maior se não tem água que chega. A melhor alternativa foi lá (no Capingui)”, enfatiza Santi.


O recurso foi aprovado na Assembleia Legislativa e garantido pelo Banco Interamericano de desenvolvimento (BID). A Corsan ajusta os últimos detalhes antes do anúncio oficial da obra e da publicação do edital de licitação.


Estiagem de 2012
Com a obra, situações como as que aconteceram em 2012, de racionamento em período de estiagem, serão evitadas. Naquele ano, a Corsan teve de buscar água no Jacuí para abastecer Passo Fundo. O governo estadual, por meio da Corsan, liberou, naquele ano, R$ 4 milhões para as cidades atingidas pela estiagem. O valor foi destinado à perfuração de poços profundos, para obras de reforços como aproveitamento de poços, dragagem e desassoreamento de barragens, instalação de válvulas reguladoras de pressão e contratação de caminhões-pipa e para análises técnicas, físico-químico e bacteriológicas em águas provenientes dos poços perfurados. Na ocasião, o governo havia previsto a transposição do Rio do Cravo em Erechim, das águas do Rio Jacuí para o recalque do Rio Passo Fundo Novo, e do Rio Passo da Porteira para a Barragem Arroio das Pedras.

Gostou? Compartilhe