Criador do Voz das Comunidades diz que sofreu racismo em voo

Rene Silva relatou que uma passageira fez um comentário racista

Escrito por
,
em
Rene Silva participa de vento em que conta a história do Voz das Comunidades

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Fundador do jornal comunitário a Voz das Comunidades e ativista do Complexo do Alemão, Rene Silva, de 24 anos, relatou, nas redes sociais, ter sido vítima de racismo na manhã de hoje (10), ao embarcar em um voo no Aeroporto Santos Dumont, no Rio de Janeiro.

 

Segundo ele, ao entrar no avião, ouviu uma passageira conversando com outra e se referindo a ele, em tom elevado, com o seguinte comentário: “Olha o tipo de gente que anda de avião”.

 

“Ao me ver entrar no avião, ela começou a dizer que "tá uma bagunça mesmo o Brasil... Porque antigamente isso aqui era coisa pra gente chique e que hoje em dia qualquer um tá voando", completou, em um desabafo nas redes sociais. “Apontando com os olhos para sua vizinha de poltrona chique, ela ainda solta ‘olha o tipo de gente que anda de avião!’ e finaliza com um ‘por isso que esse país não tem mais jeito...’".

 

À imprensa, Rene informou que não vai prestar queixa por não ter elementos para identificar a passageira.

 

No relato, ele disse que ficou sem reação diante do episódio. “Confesso que fiquei sem muita reação na hora, a não ser dar um sorriso grande demonstrando ‘sim você vai viajar no mesmo avião que eu, senhora”, disse. “Mas, por dentro, eu ainda estou tentando entender como um ser humano é capaz de fazer isso [o comentário] e magoar o outro. Inadmissível”, completou.

 

A publicação foi bastante compartilhada no Facebook, onde Rene recebeu apoio de internautas.

 

O jovem foi considerado uma das 100 pessoas negras com menos de 40 anos mais influentes do mundo pela organização internacional Mipad (Os mais influentes afrodescendentes, na tradução livre).

Gostou? Compartilhe