Drama de ilegais na América do Norte será tema de reunião em Chicago

Chanceler brasileiro conversa com 14 cônsules dias 6 e 7

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A situação de pelo menos 58 crianças e adolescentes filhos de imigrantes ilegais brasileiros, separados dos pais nos Estados Unidos (EUA), vai reunir 14 cônsules do Brasil, em Chicago (EUA), nos dias 6 e 7. O ministro das Relações Exteriores, Aloysio Nunes Ferreira, coordenará a reunião com os cônsules brasileiros nos EUA, México e Canadá em busca de soluções para o impasse.

 

Com a disposição de discutir as dificuldades que envolvem o intenso fluxo migratório em torno dos três países, o chanceler viaja na próxima quarta-feira (4). A agenda ainda está em fase de organização. Por enquanto, não há previsão de reuniões com os parentes dos imigrantes ilegais nem com autoridades norte-americanas.

 

Do lado brasileiro, a tensão em torno dos imigrantes ilegais deve ser discutida em pelo menos quatro etapas: uma com os 10 cônsules do Brasil nos Estados Unidos, outra com os três do Canadá e uma terceira com o único que está no México. Por fim, o tema vai ser tratado de forma geral.

 

Retorno

No último dia 26, o presidente Michel Temer se reuniu com o vice-presidente dos Estados Unidos, Mike Pence. No encontro, Temer se colocou à disposição para buscar as crianças brasileiras separadas dos pais para trazê-las ao Brasil. No entanto, as autoridades brasileiras informaram que é preciso respeitar o desejo de cada um dos que foram para os Estados Unidos e verificar se querem retornar.

 

Internamente, Aloysio Nunes e as autoridades brasileiras consideram cruel a decisão de Trump de separar filhos dos imigrantes ilegais. O governo brasileiro tem recomendado aos que sonham em deixar o país sem os documentos e autorização necessárias que não o façam.

 

Histórico

O levantamento, divulgado hoje (29) pelo Ministério das Relações Exteriores, aponta que há 58 crianças brasileiras separadas dos pais em abrigos dos Estados Unidos, principalmente nas regiões de Illinois, Chicago e Tuckson. No total, são mais de 2 mil crianças e adolescentes vivendo longe das famílias consideradas imigrantes ilegais no país.

 

Desde maio, a política do presidente dos Estados Unidos, Donald Trump, de tolerância zero com a imigração ilegal, levou à separação de mais de 2 mil crianças de suas famílias ao cruzar ilegalmente a fronteira entre México e Estados Unidos.

 

Após pressão doméstica e internacional, Trump assinou decreto prometendo o fim da separação das famílias. Porém, a decisão só se aplicará aos novos casos. 

Gostou? Compartilhe