Falta ração para aves em Passo Fundo

Abatedouro da JBS está com atividades paralisadas desde a quarta-feira. Cerca de 50% dos integrados da empresa não recebeu ração para aves

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os reflexos da greve dos caminhoneiros começam a chegar ao setor agrícola. A paralisação do abate de aves na unidade da JBS do município, bem como a falta de ração para aves em algumas propriedades já começa a preocupar. Produtores não receberam ração e animais que estão prontos para o abate não estão saindo das propriedades.


De acordo com o presidente da Avipenca, que reúne os criadores de aves em Passo Fundo e alguns municípios da região, Luiz de Jesus, a informação repassada pela fábrica é de que pelo menos 50% dos avicultores integrados à JBS tenham ficado sem receber o carregamento de ração para as aves. Além disso, animais que estão prontos para o abate estão permanecendo nas propriedades. “A situação vai se agravar bem mais”, estima ele, caso as condições permaneçam. Conforme orientação da empresa, os produtores estão diminuindo o fornecimento de alimento aos animais a fim de evitar que eles fiquem completamente sem comida. Até o momento não há registros de mortes de animais por falta de alimento.


O presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Indústrias Alimentícias, Miguel dos Santos, destaca que os trabalhadores da JBS em Passo Fundo estão dispensados e devem se apresentar na segunda-feira. Diariamente, na unidade de Passo Fundo, são abatidos entre 160 mil a 180 mil aves.


De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores Rurais de Passo Fundo, Airton Ferreira dos Santos, até o momento os produtores de leite do município ainda não registraram prejuízos em função da greve dos caminhoneiros. Segundo ele, a Fetag tem apoiado o movimento e negociado para que veículos com cargas vivas, leite e outros produtos não fiquem parados nos bloqueios a fim de evitar prejuízos.


A Feira do Produtor que ocorre todos os sábados na Gare está mantida de acordo com informações da Emater Municipal de Passo Fundo.

Gostou? Compartilhe