Gasolina: Petrobras deve contribuir com ANP na formação de preços

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O presidente da Petrobras, Ivan Monteiro, reafirmou hoje (7), no Rio de Janeiro, a predisposição da estatal de contribuir com a audiência pública, no âmbito da Agência Nacional do Petróleo, Gás Natural e Biocombustíveis (ANP), com vistas a definir a periodicidade dos reajustes do preço da gasolina.

 

"A Petrobras vai aguardar o processo da consulta publica, que me parece ter dois pilares claros: liberdade e competição. Então, nós vamos aguardar com calma este processo e vamos contribuir para a consulta. Mas, só vamos tomar alguma decisão sobre a atuação comercial da Petrobras após as conclusões [da consulta]”, disse.

 

Liberdade e transparência

Ele lembrou que o processo conduzido pela agência reguladora está apenas no seu início e que a empresa "não sabe o final dele. O que me parece claro é que os pilares que o norteiam são de liberdade, transparência e competição".

 

Monteiro lembrou que a Petrobras hoje vem praticando reajuste diário, no caso da gasolina, dentro do padrão de atuação comercial e que, por isso mesmo, "a postura da companhia é de aguardar o resultado da consulta e apenas após o resultado, com a qual a gente vai contribuir, a gente vai  tomar uma decisão, até porque a companhia não sabe o resultado da pesquisa".

 

No último dia 5, em nota, a Petrobras já havia informado a predisposição de colaborar com asdiscussões lideradas pela ANP.

 

"Um diálogo que permita a formação de preços, alinhada às condições de mercado e maior previsibilidade, como proposto pela ANP, pode resultar em maior competição, ao mesmo tempo em que mantém a liberdade para formação de preços da Petrobras e demais atores do setor de óleo e gás" disse a empresa.

Gostou? Compartilhe