Movimento Sepé Tiarajú quer retomar trabalhos na educação

Apoiado pelo Ministério Público, movimento visa uma política de superação da violência através das escolas

Escrito por
,
em
Comunidade e entidades estiveram presentes no encontro

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Movimento pela Paz Sepé Tiarajú, que traz o nome em homenagem ao líder e herói indígena, começou a retomada dos trabalhos na tarde de sexta-feira, 20, através de encontro realizado no auditório da faculdade Anhanguera. Na reunião, representantes de diversas entidades formaram uma comissão que irá levar adiante as atividades e oficinas que incentivam alunos e professores na promoção da paz.

 

Em agosto de 2014, a primeira edição do movimento foi realizada em Passo Fundo com a participação de entidades como a Rede de Apoio à Escola (RAE) e a Universidade de Passo Fundo, tal qual entidades religiosas, o Grupo de Escoteiros Guaranis e a ONG Brahma Kumaris. O evento teve duração de três dias e envolveu 62 oficinas em escolas municipais, estaduais e particulares do município, bem como oito oficinas coletivas e três workshops, com o objetivo de promover a cultura e inserir estudantes e professores em exercícios educativos, que também envolveram sessões de ioga, diálogo e debates. De acordo com João Paulo Bittencourt Cardozo, promotor de justiça de Palmeira das Missões, o objetivo do reencontro é manter a continuidade desses projetos, que visam ser uma alternativa para combater principalmente a evasão escolar e promover a não violência através do desenvolvimento social e pessoal.

 

No encontro, ficou determinado que representantes das entidades anteriormente parceiras e que estiveram presentes na reunião formariam uma comissão, para que seja possível seguir promovendo outras atividades em parceria com o Ministério Público. “O foco é continuar para que todo esse legado do Movimento pela Paz Sepé Tiarajaú possa ser mantido, através dos ganhos que ele pode trazer para as escolas, para os educadores e educandos, pretendendo o que teve início grandiosamente em 2014.”, afirmou o promotor. Representantes das RAEs de Passo Fundo, da 7ª Coordenadoria Regional de Educação, da Coordenadoria da Juventude do município e da Justiça Federal se comprometeram em integrar uma comissão inicial que deve se reunir na próxima sexta-feira, dia 27, para discutir o futuro do Movimento e quais pautas devem entrar em discussão para eventualmente serem colocadas em prática.

Gostou? Compartilhe