Produtores devem estar atentos ao controle da cochonilha e tratos de inverno

Ao mesmo tempo em que o calor nesta época ajuda as plantas a reterem mais nutrientes, ele pode proliferar alguns insetos prejudiciais. Para os citrus, risco é de frutos menores, porém mais doces

Escrito por
,
em
Em fase final de maturação, falta de chuva pode deixar bergamotas com menor tamanho, porém mais doce

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Neste ano as temperaturas baixas ainda não chegaram e isso tem repercutido nos ciclos das plantas frutíferas. Enquanto algumas se beneficiam do maior tempo de calor para reter nutrientes para o próximo período, outras podem sofrer com o ataque de insetos ou mesmo florações fora de época. Os produtores devem estar atentos a essas situações para poderem proceder os tratamentos e manejos adequados em cada situação.
O assistente técnico municipal da Emater de Tapejara, Jair Batista do Amaral, explica que como as plantas ainda não perderam as folhas devido ao calor, elas tendem a acumular mais nutrientes. Mesmo assim, o calor não é totalmente benéfico neste período, especialmente para rosáceas, como é o caso dos pessegueiros, que podem emitir flores caducas – fora de época. Isso pode repercutir negativamente na produtividade quando for o momento adequado da planta começar a produzir.


No caso da ameixa e do caqui as plantas estão com bom padrão, mas é preciso ficar atento, antes das geadas, para a ocorrência de cochonilhas. Neste período e com as temperaturas registradas elas podem se proliferar rapidamente e causar danos às plantas. Nos galhos em que elas se instalam pode haver a parada da produção, mas há casos em que a planta morre devido ao ataque. Por serem insetos sugadores, as cochonilhas acabam retirando os nutrientes das plantas que ficam debilitadas. O controle pode ser feito com a aplicação de óleo mineral e inseticida. Porém, após as geadas, enquanto a planta estiver em dormência, é importante a aplicação da calda sulfocálcica para limpeza total da planta. As cochonilhas atacam também os pessegueiros.


Para os produtores de uva, o cuidado neste momento deve ser direcionado à cobertura de solo e, somente depois das geadas, realizar os tratos culturais com a calda sulfocálcica para a limpeza das plantas. Já para os citros o único empecilho no momento é a falta de chuva que pode afetar o desenvolvimento dos frutos. “Estamos chegando no período em que a frutificação está chegando ao final da maturação e as frutas podem ficar um pouco menores, mas, principalmente a bergamota, fica mais doce e isso é bom”, explica. Além disso, os produtores que possuem sistemas de irrigação não devem registrar problemas.


Noz-pecã
Também está em período de colheita da noz-pecã. Em Tapejara, por exemplo, são cultivados cerca de 14 hectares de nozes. Neste ano as plantas têm apresentado boa produtividade. As plantas podem render entre 2 mil e 3 mil quilos por hectare. O quilo da noz pode ser vendido por cerca de R$ 35 ao quilo do produto processado ou entre R$ 15 e R$ 18 in natura, o que representa uma boa fonte de renda ao produtor neste período.

Gostou? Compartilhe