Reitoria da UPF conhece as instalações do Parque de Geração Solar Fotovoltaica

Parque está sendo instalado no Campus I da UPF, contemplando 54 painéis fotovoltaicos

Escrito por
,
em

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?
A produção de energia renovável tem sido implementada na Universidade de Passo Fundo (UPF) por meio do Parque de Geração Solar Fotovoltaica, projeto que está em fase final de construção. O Parque de 750 m² contará com 54 painéis fotovoltaicos posicionados em estruturas fixas no solo, com potência total de 17,55 KWp. Serão dois conjuntos, de 30 e 24 módulos, dispostos na orientação norte, obtendo o melhor índice de incidência solar na superfície dos painéis fotovoltaicos.
 
Na manhã desta segunda-feira, dia 23 de abril, a Reitoria da UPF e membros da Fundação Universidade de Passo Fundo (FUPF) visitaram o espaço onde está sendo instalado o Parque, na Quadra R do Campus I, nas proximidades do prédio do curso de Direito. Na oportunidade, puderem conhecer de perto a estrutura, saber mais sobre a capacidade de energia instalada e sobre a projeção de implementação de outros projetos que promovem a difusão de tecnologias verdes.
 
Presente na visita, a presidente da FUPF, professora Maristela Capacchi, destacou que um projeto de autossustentabilidade é importante. “Como universidade, temos a obrigação de buscar alternativas para sermos autossustentáveis. Para nós, é fundamental essa primeira placa e a intenção é seguir ampliando para toda nossa Instituição”, afirmou.
 
O reitor da UPF, José Carlos Carles de Souza, reconheceu a iniciativa e destacou a relevância do momento de apresentação da primeira placa. “Damos os primeiros passos na instalação do Parque, que, além de beneficiar a Instituição do ponto de vista do consumo, vai servir como referência aos alunos e professores, que terão espaço de ensino de tecnologias”, disse.
 
Para o vice-reitor Administrativo, professor Agenor Dias de Meira Junior, o Parque representa o marco inicial. Como gestores da Instituição, é um grande sonho contar com a autonomia em energia, seja ela solar ou eólica, desde que seja uma energia limpa, renovável e que não polua. Temos condições de avançar no sentido de nos tornarmos autônomos em energia e ainda fornecer energia para a rede”, frisa ele, apontando que o projeto ainda traz ganhos do ponto de vista acadêmico. “Somos uma universidade que tem responsabilidade social e também busca desenvolver tecnologias. Esse espaço vai oportunizar isso, a pesquisa e o ensino com avanços tecnológicos”, justifica.
 
O Parque Solar Fotovoltaico está sendo realizado pela Divisão de Infraestrutura e Logística da UPF, por meio dos Setores Sistemas Elétricos, Engenharia e Projetos, Saneamento Ambiental, Manutenção Predial e Ajardinamento, juntamente com o grupo de Extensão Green Energy, do curso de Engenharia Elétrica da Faculdade de Engenharia e Arquitetura (Fear). Estiveram presentes na apresentação, além da presidente da FUPF, do reitor e do vice-reitor Administrativo, o diretor administrativo financeiro José Luis de Freitas; o coordenador da Divisão de Infraestrutura e Logística Everton Klein e representantes dos demais setores envolvidos no projeto.
  
Parque Solar
Conforme o engenheiro Rangel Casanova Daneli, o projeto conta também com participação da empresa multinacional do ramo elétrico WEG e outros apoiadores. Segundo ele, cada painel fotovoltaico tem dimensão de 2 metros de altura e 1 metro de largura, obtendo a potência máxima de 325 KWp/módulo. A superfície total de captação da energia do sol será de 108 m², com geração de energia de até 2300 KWh/mês. “O Parque Solar Fotovoltaico contempla a primeira etapa do Complexo de Energias Renováveis UPF. “Temos projeções futuras de extensão a Energia Eólica e conceitos de construções sustentáveis, além de tecnologias que visem à eficiência energética e ao uso consciente de recursos renováveis para o consumo”, destacou ele.
Gostou? Compartilhe