Maio Amarelo alerta para a violência no trânsito

Movimento tem ações programadas em Passo Fundo, que mostra sinais de redução no número de vítimas fatais em acidentes

Escrito por
,
em
Ações serão realizadas em toda a cidade, em especial nas escolas

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O Movimento Maio Amarelo, que surgiu como sinal de alerta para a violência no trânsito, já tem ações programadas em Passo Fundo. No dia 7 de maio acontecerá o seminário “Nós somos o trânsito”, com o objetivo de compartilhar projetos de educação para o trânsito. No perímetro urbano da cidade, a redução no número de vítimas fatais foi de 44% em três anos.

 

Conforme a chefe do Núcleo de Educação para o Trânsito, Raquel Rubio, em 2017 houve 16 vítimas fatais de acidente de trânsito em perímetro urbano em Passo Fundo, 44% a menos em relação as 29 vítimas de 2014. De acordo com ela, esse é um dado a se comemorar, mas apesar disso ações de conscientização no trânsito ainda são necessárias, principalmente em relação aos pedestres, que compõe 50% do total de vítimas fatais em acidentes.

 

“Nós falamos muito que o trânsito não é bom, mas precisamos questionar: quem faz o trânsito? Somos nós.”, reflete Raquel, retomando o tema da campanha deste ano, “Nós Somos o Trânsito”. De acordo com dados do Detran, até março deste ano já foram registradas quatro mortes em acidentes fatais de trânsito no perímetro urbano do município, além de outras 12 vítimas em vias estaduais. Na tentativa de melhorar o comportamento tanto dos motoristas quanto dos pedestres, o Núcleo de Educação para o Trânsito elabora projetos de intervenção para reduzir os índices de violência no trânsito. Raquel informa que neste ano o objetivo é colocar oito projetos em execução. Em abril, o projeto “Situações de Vulnerabilidade” foca na educação dos idosos. Segundo a chefe do Núcleo, a maioria das pessoas que perdem a vida no trânsito urbano são pedestres com idade acima de 59 anos, o que motivou o Núcleo a direcionar atividades aos grupos de idosos dos CRAS (Centro de Referência de Assistência Social). “Através de brincadeiras práticas acabamos alertando para situações que geram risco, como atravessar a rua em lugar não adequado”, conta Raquel.

 

Na próxima segunda-feira, dia 7 de maio, o seminário do Movimento Maio Amarelo será sediado no Centro de Eventos da Universidade de Passo Fundo. O evento é apoiado pela Prefeitura e conta com a participação de outros municípios, com o objetivo de compartilhar projetos de educação para o trânsito e fiscalização. “O ponto forte do evento será a palestra João Pedro Correa, especialista em Segurança no Trânsito e criador do Programa Volvo de Segurança no Trânsito, vencedor de vários prêmios nacionais e internacionais. Também, um debate sobre o Plano Nacional de Redução de Mortes e Lesões no Trânsito, com a participação do presidente do Cetran, Luiz Nóe, do criador da lei, o ex-deputado Beto Albuquerque, e da Polícia Rodoviária Federal”, explicou Raquel.


Passe livre
E nesta terça-feira, o transporte coletivo urbano de Passo Fundo vai operar com passe livre. A prática ocorre sempre no Dia do Trabalhador. As três empresas que operam as linhas na cidade (Coleurb, Transpasso e Codepas) circula sem cobrar a tarifa e os horários são reduzidos em função do feriado.

Gostou? Compartilhe