Bsbios se consolida como a primeira grande exportadora de biodiesel

Indústria exporta para a Europa mais 8 mil toneladas do biocombustível

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A Bsbios entrou para a rota de exportação mundial de biodiesel, liderando o segmento no país. A companhia fechou uma grande exportação de biocombustível, num volume total de 8 mil ton de biodiesel, que será exportada para a Europa. O Presidente da Bsbios Erasmo Carlos Battistella relatou que há uma expectativa muito grande com esse novo mercado que a empresa está conquistando. “Este é um momento muito importante para companhia, e um momento histórico para o setor, nós estamos muito felizes de fechar essa primeira grande exportação. Principalmente por que a nossa empresa é brasileira e foi criada em função do Programa Nacional de Produção e Uso do Biodiesel  (PNPB) e, como sempre afirmei é puro sangue biodiesel,” afirmou o empresário.

Os embarques dessa nova remessa de biodiesel já se iniciaram e, acontecem logo após a primeira exportação de biodiesel para fins comerciais do país, que foi realizada pela Bsbios no último dia 25, para a Holanda. Battistella destaca que alguns fatores foram determinantes pela escolha da marca Bsbios. “A qualidade do nosso produto, que é diferenciada no mercado, e também por termos conseguido otimizar a questão logística,” falou o diretor presidente. “Está claro de que se o setor produtivo tiver condições ele tem capacidade de atender parte do grande mercado da Europa,” acrescentou o empresário que também preside a APROBIO - Associação dos Produtores de Biodiesel do Brasil.

A Bsbios aproveita o momento favorável do mercado devido à redução das cotações dos óleos vegetais, nos últimos dias, e a elevação do preço do dólar, o que culminou nessa primeira grande exportação de biodiesel. “Para tornarmos mais competitivos precisamos ainda fazer ajustes fiscais e tributários e contornar as barreiras de restrição de entradas de biodiesel na Europa,” finalizou o empresário.

Gostou? Compartilhe