Decreto libera abertura de lojas de chocolate

Por
· 1 min de leitura
Estabelecimento adotou as medidas de segurança recomendadas pelo decreto

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A prefeitura pubilcou ontem à tarde, um decreto flexibilizando a abertura das lojas de chocolate, de hoje (8) até o dia 13 de abril. A decisão não inclui shopping centers e centros comerciais. Os estabelecimentos do comércio em geral que realizam a venda de chocolates para o feriado de Páscoa deverão atender de forma isolada e específica, ficando vedado o comércio que não de chocolates. O decreto torna obrigatório o uso de máscara para atendimento e recomendações do Ministério Público do Trabalho, a fim de evitar o uso compartilhados de produtos que possam propagar o contágio do novo coronavírus.
Assim que a notícia da decisão foi divulgada, algumas lojas abriram as portas ainda na tarde de ontem. Em uma das mais tradicionais de Passo Fundo, a procura por doces e pelos ovos de chocolate foi imediata. Uma fila se formou em frente ao estabelecimento, no centro da cidade. Um funcionário na porta controlava o fluxo de pessoas. "Estamos liberando a entrada de três clientes por vez para evitar aglomeração lá dentro", explicou.
Para reduzir os riscos de contágio da covid-19, os atendentes estavam protegidos com luvas e máscaras. O mesmo procedimento foi adotado por alguns clientes.
Proprietária da loja, Maralda Antunes lamentou o pouco tempo que terá para comercializar os produtos até a Páscoa, no próximo domingo. "Em razão do feriado de Sexta-Feira Santa, teremos praticamento amanhã (quinta) e sábado. Hoje abrimos no final do dia. O estrago já está feito. Não tem mais como recuperar. Estamos há 18 dias sem receber mercadorias. Fizemos um estoque com antecedência para atender a demanada, mas a queda em relação ao ano passado deve ser de aproximadamente 70%", justifica.

Gostou? Compartilhe