Processo seletivo de verão da UFFS poderá ser cancelado

Reitoria da instituição, em Chapecó (SC), está ocupada por estudantes

Por
· 2 min de leitura
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O processo seletivo para ingresso nos cursos de graduação da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), no primeiro semestre letivo do próximo ano, poderá ser suspenso. O lançamento do edital está previsto para esta quinta-feira (05).


A inclinação para o cancelamento foi anunciada, na segunda-feira (02), durante uma assembleia geral convocada pelo Conselho Universitário (CUn) da Universidade Federal de Santa Catarina (UFSC). O Vestibular 2020 será unificado entre ambas instituições para selecionar candidatos às vagas ofertadas nos cursos de graduação da UFSC e UFFS. Durante a plenária, que reuniu mais de quatro mil integrantes da comunidade acadêmica, foi aprovado um posicionamento solidário à Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), após a nomeação ao cargo máximo da reitoria institucional o terceiro colocado nos processos de consulta pública.


Escolhido pelo presidente da República, Jair Bolsonaro, na quinta-feira (29), através da lista tríplice enviada ao Ministério da Educação (MEC), o professor Marcelo Recktenvald, chegou a Brasília na terça-feira (03) para a posse que será realizada, nesta quarta (04), na presença do Ministro da Educação, Abraham Weintraub.


Reitoria ocupada
O prédio da Reitoria, no campus sede da UFFS em Chapecó (SC), foi ocupado por cerca de 200 estudantes matriculados no centro universitário, no início da semana. Em nota, os ocupantes questionaram a legitimidade da indicação presidencial ao posto de reitor. "Como o Marcelo fará a sua gestão se a ampla maioria não optou por suas propostas? Isso é democrático em pleno 2019?", indaga o texto. Segundo a integrante do Diretório Central de Estudantes (DCE) do campus Erechim, Pamela Marmentini Corrêa, a intenção é permanecer no local e barrar, na quinta-feira (05), o ingresso de Recktenvald, que retornará da capital federal como novo gestor da UFFS.


Membros do corpo docente da instituição de ensino superior também repudiaram a nomeação de Marcelo e devem, durante essa semana, paralisar as atividades acadêmicas e promover uma série de aulas públicas de forma conjunta aos demais campis. Entre as sete deliberações elaboradas pelo magistério da universidade, há a possibilidade de reivindicação, junto ao Conselho Universitário, da destituição do Reitor nomeado, com respaldo no Art. 13, Inciso XIII, do Estatuto da Universidade Federal da Fronteira Sul (UFFS), que atribui à unidade formadora desse conselho "propor ao Presidente da República a destituição do reitor mediante aprovação de 2/3 (dois terços) dos conselheiros, em sessão especialmente convocada para esse fim", como informou o professor e membro da direção sindical docente da instituição, Vicente Ribeiro.


Em Passo Fundo, não há, até então, nenhuma informação sobre adesão às paralisações e marchas de ocupação do prédio da reitoria. O campi da UFFS, na cidade, oferta 62 vagas anuais ao curso de bacharelado em Medicina.

 

Gostou? Compartilhe