Reunião sobre Cadeia Solidária Binacional do PET

O evento acontece na Câmara de Vereadores de Passo Fundo, nesta quinta às 14h

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Debater a política de resíduos sólidos, além da implantação da Cadeia Solidária Binacional do PET na região da Produção serão os temas da reunião organizada pela Secretaria da Economia Solidária e Apoio à Micro e Pequena Empresa (Sesampe) nesta quinta-feira (04). O evento acontece na Câmara de Vereadores de Passo Fundo, contará com a parceria do Projeto TransformAção de Passo Fundo, Fórum Regional da Economia Solidária, Secretaria de Cidadania de Erechim e Coordenação da Cadeia do PET. 

No encontro também serão apresentadas as ações realizadas na região do Vale dos Sinos e as atividades de economia solidária na região Nordeste. No período da manhã estarão presentes prefeitos e gestores públicos. Às 14 horas, os temas vão ser expostos aos catadores, gestores e organizações de apoio, na sede da Associação Amigos do Meio Ambiente em Passo Fundo.

Segundo a diretora da Sesampe, Nelsa Nespolo, no âmbito da cadeia do PET atuam, no Rio Grande do Sul, 135 cooperativas e associações de catadores, que coletam, reciclam e prensam as garrafas. "São recolhidas do meio ambiente, mensalmente, mil toneladas de garrafas plásticas. Nesta fase do projeto estão envolvidos 2.079 trabalhadores. As garrafas são encaminhadas para os três primeiros polos instalados em Santa Cruz do Sul, Novo Hamburgo e Jaguarão". 

Nelsa destaca que na Coopertêxtil, em Minas Gerais, cerca de 300 trabalhadores transformarão a fibra, proveniente da Coopima, no Uruguai, em fio. O tecido produzido dentro da Cadeia Solidária Binacional do PET será utilizado para confecção de sacolas, camisetas, cortinas, calçados e mochilas, entre outros artefatos.

Governo do Estado

Gostou? Compartilhe