Servidores do Judiciário reivindicam plano de carreira justo

Cerca de 60 servidores paralisaram as atividades na quarta-feira (09) para protestar contra a as perdas salariais e por um plano de carreira que valorize a categoria

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Os servidores do Judiciário de Passo Fundo aderiram ao movimento estadual da categoria e paralisaram parcialmente as atividades na quarta-feira (09). A categoria se concentrou em frente ao Fórum das 9h às 18h. Foram mantidos 30% do efetivo nos cartórios. Casos emergenciais e as audiências foram atendidos normalmente. Os servidores reivindicam a valorização do servidor concursado e a qualidade dos serviços públicos. O atendimento retorna ao normal nesta quinta-feira (10).

A paralisação foi definida no final de março durante assembleia geral em Porto Alegre. De acordo com a representante do sindicato dos servidores, Adriana Carpinski Junges, a mobilização é para reivindicar os direitos da categoria. A carga horária exaustiva, a falta de um plano de carreira justo, as perdas salariais e o acúmulo de trabalho são as principais reclamações. “A carência de recursos humanos está acarretando muitas doenças nos servidores. Queremos mostrar para a sociedade, que busca na justiça a solução para os seus problemas, que a demanda é grande, e o número de servidores é cada vez menor. Não conseguimos cumprir as metas do Tribunal de Justiça com três servidores em um cartório com dez mil processos”, declara a representante do sindicato.

Através de uma carta aberta à sociedade gaúcha, os servidores revelam que há quase 2 mil cargos vagos no primeiro grau da justiça. “Se hoje a população aguarda meses para ter seu pedido de pensão, divórcio, usucapião, desapropriação, ação indenizatória, medicamentos, é porque a máquina pública está sucateada”, revela o documento.

Principais reivindicações:
- Reposição da inflação sem parcelamento;
- Recuperação das perdas e ganho real;
- Jornada de sete horas;
- Data-base;
- Plano de Carreira justo;
- Valorização do servidor concursado;
- Mais recursos humanos.

Reajuste dos servidores
O Projeto de Lei 62/2014, que contém os índices de recomposição dos vencimentos dos servidores do Poder Judiciário do Rio Grande do Sul, foi aprovado pela Assembleia Legislativa na última terça-feira (08). O reajuste totaliza 7,5%, sendo 3,85%  a partir de julho, e 3,5% em novembro, de forma cumulativa. O projeto seguirá para a sanção do Governador Tarso Genro e posterior publicação no Diário Oficial do Estado. A direção sindical tem opinião de que dadas as perdas salariais históricas, o projeto de reajuste como posto contempla apenas perdas inflacionárias no todo. Desse modo, os sindicalistas entendem que o texto poderia ter sido alterado para atender às expectativas da categoria.

 

Gostou? Compartilhe