Travessia dificultada

Balsa segue interditada em Nicolau Vergueiro

Por
· 1 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

A balsa responsável pela travessia de veículos na barragem de Ernestina até o município de Nicolau Vergueiro permanece interditada desde sábado à noite, em razão do grande volume de chuva registrada nos últimos dias. 

Com a quantidade de água acumulada na estrada, os veículos não conseguem chegar até a margem da barragem. Segundo Satil Getúlio Vargas, 58 anos, que mora no local, até ontem à tarde, a água estava um metro acima do nível. “Baixou apenas uns 10 centímetros. Os carros não conseguem passar pela estrada. Os motoristas são obrigados a voltar” relata.

Ex-proprietário da balsa, e morador do local, Satil lembra que a última interdição da travessia provocada pela cheia, ocorreu na segunda metade dos anos 80. Sem a balsa, os motoristas têm outras duas alternativas para chegar até o município de Nicolau Vergueiro. Uma deles é percorrer o caminho por Ibirapuitã, aumentando a distância em cerca de 50 quilômetros, ou então, pela localidade de Santa Gema e Capinzal. A balsa faz uma travessia de 200 metros e transporta uma média diária de 80 veículos. A previsão é de que a ponte que está sendo construída no local seja concluída até o final do ano.


“Há muitos anos não via a barragem com este nível de água”
Para voltar a fazer o tradicional churrasco no domingo, o bancário Ivandro José Berischmeirs, 37 anos, terá de esperar o nível da barragem de Ernestina baixar. Morador da localidade de Linha Gramado, interior de Ernestina, o quiosque onde ele costuma se reunir com a família, além de um galpão, foi tomado pelas águas durante o final de semana.

A matéria completa você confere nas edições impressa e digital de O Nacional.  Assine Já

Gostou? Compartilhe