Escola de Hackers 2020 contará com mais de 240 alunos

O programa será desenvolvido de forma online neste ano

Por
· 1 min de leitura
Mais de 1,3 mil alunos já participaram do programa (Foto: Arquivo)Mais de 1,3 mil alunos já participaram do programa (Foto: Arquivo)
Mais de 1,3 mil alunos já participaram do programa (Foto: Arquivo)

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Mais de 240 alunos, de 19 escolas municipais, integrarão a Escola de Hackers neste ano. Esse é um programa da Prefeitura, com apoio da Universidade de Passo Fundo, para levar a programação e o pensamento computacional a crianças e jovens.

Neste ano, todas as aulas acontecerão pela internet, por meio da plataforma Google Classroom, já utilizada para as atividades da rede municipal. Essa nova dinâmica proporcionou que as turmas fossem organizadas por idade, não por definição de escola, como acontecia presencialmente.

O encontro inaugural foi realizado na manhã desta terça-feira (8), com uma apresentação e uma abordagem da importância da programação para a inovação do mundo. A intermediação foi feita pelo coordenador da Escola de Hackers e professor do curso de Ciências da Computação da Universidade de Passo Fundo, Adriano Teixeira. “Esse programa já foi premiado nacionalmente e coloca nosso município em uma posição de vanguarda nessa área. Sua concepção, metodologia e execução já beneficiou mais de 1.300 crianças e adolescentes de nosso município”, declarou.

A primeira aula contou com uma palestra do doutor em Informática na Educação e professor da Universidade do Vale do Itajaí (Univali), André Raabe, que destacou a utilização da tecnologia na solução de problemas. “Hoje, a redução do custo da tecnologia, alternativas de linguagem de programação e ferramentas que nos permitem programar de forma mais simples permitem que a gente faça automação e crie inovação”, afirmou.

André também destacou a relevância da iniciativa para os alunos, uma vez que a programação abre uma grande janela de oportunidades de atuação. “Parece desafiador e difícil. Mas, com esforço, todos conseguirão desenvolver habilidades, o que não será importante só para o futuro, mas para o presente”, acrescentou.

A Escola de Hackers foi criada pela Prefeitura de Passo Fundo em 2014. O secretário de Educação, Edemilson Brandão, reforçou a importância do programa para a educação. “Ele possibilita a formação de pessoas criativas, ativas e protagonistas. É o que esperamos que a educação promova: mudanças”, considerou.

Gostou? Compartilhe