Clima quente e úmido não é favorável às culturas de inverno

Mesmo assim, até o momento não há grandes problemas com o surgimento de pragas e doenças

Por
· 1 min de leitura
Cerca de 80% da área cultivada com canola está em fase de floraçãoCerca de 80% da área cultivada com canola está em fase de floração
Cerca de 80% da área cultivada com canola está em fase de floração

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O clima quente e úmido registrado em vários períodos deste inverno não favorece o desenvolvimento das culturas que estão no campo. Estas condições são ideais para o surgimento de doenças, principalmente as causadas por fungos. No entanto, até o momento, conforme dados da Emater Regional de Passo Fundo, não há grandes problemas nas áreas com cultivadas e os agricultores estão conseguindo realizar os manejos necessários, sejam de adubação ou controle de pragas e doenças.

A área de cultivo de canola, por exemplo, está cerca de 80% em floração, de acordo com o agrônomo e assistente técnico estadual da Emater/RS-Ascar Luiz Ataides Jacobsen. “Até agora a canola tem demonstrado uma situação boa e sem maiores problemas com pragas e doenças. Os agricultores conseguiram fazer todos os tratos culturais exigidos até então e há expectativa de rendimento de 1,8 mil quilos por hectare”, observa.
No caso da cevada, a cultura ainda está em fase de desenvolvimento vegetativo e também recebeu os tratos culturais necessários até esta fase, entre eles a aplicação de nitrogênio em cobertura e o controle de invasoras. “Essas que foram implantadas no início de julho estão com situação um pouco mais favorável tendo em vista que o clima foi um pouco mais ameno e não tivemos chuvas tão intensas como as que acabaram atingindo as lavouras plantadas mais cedo”, enfatiza.

O trigo apresenta situações diferenciadas na região em função da época do plantio. Esta é a cultura de maior expressão econômica na região durante o inverno. As áreas que foram plantadas mais recentemente estão em desenvolvimento vegetativo e recebendo os tratos culturais. Há ainda áreas em fase e perfilhamento que estão recebendo nitrogênio em cobertura. As parcelas que foram plantadas mais cedo foram prejudicadas pelo excesso de chuvas e apresentam falhas na germinação ou têm germinação desuniforme. “Muitas dessas lavouras de trigo implantadas não tiveram o melhor desenvolvimento que se poderia esperar em uma condição de normalidade de clima, mas até o momento não prevemos uma quebra na produção”, pondera.

Temperaturas elevadas
Jacobsen destaca que as temperaturas elevadas, como as registradas no final de semana, e o excesso de umidade configuram uma situação de clima contrária à necessidade atual do trigo. Nesta etapa do desenvolvimento o ideal seria de temperaturas mais baixas, inclusive com formação de geadas, e pouca chuva. ”O agricultor está muito atento e está tomando as providências. Ainda não temos mensuração de perdas”, finaliza.

 

Gostou? Compartilhe