Criação de cavalo crioulo deve crescer na região

Conquistas importantes mostram o crescimento da raça crioula na região e o mercado que se abre para este tipo de negócio

Por
· 2 min de leitura

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

O mercado do cavalo crioulo movimentou no último ano R$ 1,28 bilhão de acordo com a Associação Brasileira de Cavalos Crioulos (ABCCC). Somente na Expointer 2012, foram movimentados R$ 9,3 milhões com a venda de 300 cavalos crioulos. A feira também foi importante para destacar a região neste mercado. O vencedor do Freio de ouro, o Balaqueiro do Nonoai serviu de impulso para demonstrar como o mercado da raça tem crescido na região. O empresário do agronegócio e advogado Sérgio Turra é um dos proprietários e fala sobre esse crescimento.

A criação de cavalos da raça na região foi estimulada principalmente por Ronald Bertagnoli. Ainda na década de 1990, ele trouxe do Chile o Santa Elba Comediante destaque da raça durante muitos anos. Apesar de ter morrido em 2011, a genética avançada de Comediante ainda circula em muitos animais da região como é o caso do neto Balaqueiro do Nonoai. “Tive a felicidade de conhecer o Ronald quando estava iniciando o trabalho com a raça e ele me indicou cavalos e fruto disso, dessa genética, conquistamos o Freio de Ouro 2012 com o neto do Santa Elba Comediante”, reforça Turra. A premiação marca a região por mostrar que apesar de não ter tanta tradição na criação da raça em comparação com a fronteira, a genética é de qualidade e com um trabalho persistente é possível se obter excelentes resultados

Rendimento
Turra explica que além do valor que a raça movimenta anualmente em transações de compra e venda, a criação é responsável por muitos empregos diretos e indiretos mesmo com os animais sendo criados em números reduzidos, como é o caso do sítio do advogado. “Na área de cinco hectares temos dez cavalos com boa genética. Não precisa ter quantidade, mas perseverança, determinação e boa orientação”, conta sobre como conseguiu desenvolver o campeão.

O empresário cita casos de leilões em que animais da raça alcançaram marcas de comercialização de R$ 11 milhões. Na região, os animais mais valorizados foram o Santa Elba Comediante vendido por mais de R$ 1,7 milhão e a Butiá Luiza comercializada por mais de US$ 500 mil. “O cavalo crioulo tem se mostrado muito versátil. Ele se adapta a provas que outras raças dominavam, por exemplo, a rédea. É um produto da América do Sul que está ganhando o mundo”, analisa Turra.

Os animais vendidos por cifras milionárias geralmente são adquiridos por grupos de investidores que posteriormente podem obter lucro com a venda do sêmen dos animais. O material genético de campeões é cobiçado por criadores que buscam animais com as melhores características da raça.

Balaqueiro do Nonoai
Filho de SBT Custódio e Etiqueta Tambaé
Criador: Fábio Vaccaro, Erechim-RS
Estabelecimento: Cabanha Santa Luzia e Turra, Nonoai e Marau-RS
Domador: Adriano Medeiros da Silva

Gostou? Compartilhe