Crianças empreendedoras criam loja de ervas aromáticas

Loja criada pelos alunos da escola Daniel Dipp foi inaugurada nessa quinta-feira e teve sucesso de vendas

Por
· 2 min de leitura
Sucesso de vendas no primeiro dia foi tanto que uma segunda edição da loja já está sendo planejada pelos professoresSucesso de vendas no primeiro dia foi tanto que uma segunda edição da loja já está sendo planejada pelos professores
Sucesso de vendas no primeiro dia foi tanto que uma segunda edição da loja já está sendo planejada pelos professores

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Alfabetizar é muito mais do que ensinar o ABC. Na Escola Municipal de Ensino Fundamental Daniel Dipp, alfabetizar também é ensinar empreendedorismo. Na tarde de ontem (03), os alunos do 1º ano inauguraram o Cantinho das Aromáticas, uma loja de ervas aromáticas desenvolvida em sala de aula através do projeto Jovens Empreendedores Primeiros Passos, o JEPP, do Sebrae. A inciativa veio da professora Maria Andreia Reginato Bernardon que após participar do curso de capacitação oferecido pelo Sebrae, levou o projeto para a sala de aula. “Em agosto fizemos o planejamento, em setembro chegou o material e a partir daí nós desenvolvemos um plano de negócios. Nós fomos planejando, organizando as ideias e pensando como seria feito. A proposta era a criação de uma loja de ervas aromáticas. Dessa forma, nós produzimos sachês, aromatizantes, almofadas. Tudo foi feito na escola pelos próprios alunos”, explica a professora. O trabalho contou com também a ajuda de alguns pais. “Quando a gente iniciou o projeto nós fizemos uma reunião com os pais falando sobre empreendedorismo. Nós queríamos trazer para os pais essa proposta de fazer isso e eles acharam muito interessante, gostaram e toparam a ideia. Tanto que muitos nos ajudaram”, lembra. Além de criar os produtos, os alunos trabalharam questões como a qualidade dos produtos, a forma como ele deveria ser apresentado, como seriam as embalagens, qual seria o nome da loja, quem seriam seus clientes e quais eram suas preferências. Tudo feito em paralelo com o processo de alfabetização das crianças. 

Com direito a faixa de inauguração, discurso e apresentação dos alunos, a abertura da loja foi um sucesso, tanto, que houve até falta de produtos e uma segunda edição da loja está sendo pensada para a semana que vem. Para a professora Maria Andreia, a experiência de ser um empreendedor iniciada na infância vai despertar nas crianças algo diferente. “A ideia de que cada um deles receba uma foto dessa inauguração e que eles tenham isso gravado 'eu já tive uma loja', que eles tenham algo deles e que digam que foi fruto de algo que a gente criou juntos, que a gente produziu. Por isso a valia do projeto, por isso nós aceitamos a proposta e colocamos ela em prática”, comenta.

Entre os alunos, que têm em média 6 anos, a professora garante que a recepção foi positiva. “Eles amaram a ideia, principalmente porque teve a questão do envolvimento de uma história dentro disso”, destaca. Para ela, a atividade veio somar na forma como as crianças são alfabetizadas na escola a ideia é que nos próximos anos outros professores possam participar dessa capacitação para desenvolver projetos desse tipo em toda a escola. “A questão do empreendedorismo é algo que a gente vislumbra muito mais adiante, não é imediato. Com certeza vai mexer com toda a escola”, finaliza.

 

Gostou? Compartilhe