Dia Mundial da Alimentação reflete sobre a fome no mundo

Segundo dados da FAO, 4 segundos é o tempo médio que separa cada uma das mortes por fome no mundo

Por
· 3 min de leitura
No dia 16 de outubro, também se comemora o Dia do Engenheiro de AlimentosNo dia 16 de outubro, também se comemora o Dia do Engenheiro de Alimentos
No dia 16 de outubro, também se comemora o Dia do Engenheiro de Alimentos

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?
No dia 16 de outubro, comemora-se o Dia Mundial da Alimentação, data instituída em 1945 pela Organização das Nações Unidas para a Agricultura e Alimentação (FAO), para a conscientização e luta contra a fome mundial. Neste ano, o tema escolhido para a data foi “Fome Zero”. O objetivo é sensibilizar a sociedade para a importância de ações do combate à fome e ao desperdício de alimentos e para a necessidade de desenvolvimento de uma agricultura mais sustentável. Em alusão à data, o curso de Engenharia de Alimentos da Universidade de Passo Fundo (UPF) se engajou nessa campanha, com a finalidade de divulgar e sensibilizar a comunidade a respeito do tema do Dia Mundial da Alimentação de 2018. 
 
De acordo com o professor Dr. Luiz Carlos Gutkoski, a fome no mundo está em ascensão novamente. “Hoje, mais de 800 milhões de pessoas sofrem de desnutrição crônica, segundo dados divulgados pela FAO”, informa ele. A fome, segundo o professor, é definida como o estado em que o indivíduo é incapaz de obter comida suficiente para atingir os níveis mínimos de energia necessários para uma vida saudável e ativa por mais de um ano. “Se por um lado pessoas passam fome, das 7,2 bilhões de pessoas do planeta, cerca de 600 milhões sofrem de obesidade e cerca 1,3 bilhão está acima do peso. Isso revela a existência de vários problemas para serem resolvidos”, avalia.
 
Conforme Gutkoski, a produção mundial de alimentos é suficiente para suprir a demanda das 7,3 bilhões de pessoas que habitam a Terra, e o Brasil está entre os três maiores produtores de alimentos do mundo, tendo papel de destaque e de importância estratégica. Em 2018, a produção de grãos foi de 2,5 bilhões de toneladas, o que garante a oferta 347 kg para cada pessoa que habita o planeta terra. “As políticas de distribuição de alimentos devem ser revisadas, afinal, alimentação é um direito básico do cidadão”, aponta.
 
A pesquisa, segundo o professor, põe em xeque toda a política internacional de combate à fome colocada em prática nas últimas décadas. “Em vez de crescimento da produção e ajudas momentâneas, surge agora como caminho uma abordagem territorial, que valoriza e potencializa a produção local”, destaca Gutkoski, que evidencia que, além da produção, é preciso atentar para fatores como armazenamento, processamento e distribuição dos alimentos produzidos. “Nesse sentido, o profissional formado em Engenharia de Alimentos pode assumir papel fundamental para completar os elos dessa cadeia, ajudando na redução do desperdício de alimentos”, explica.
 
Desperdício de alimentos: um problema a ser enfrentado
Do total de alimentos produzidos, uma fração significativa vai para o lixo, por meio da perda e do desperdício. De acordo com o professor, a perda é aquela comida que acaba indo para o lixo antes de chegar no consumidor final e o desperdício são os casos em que a comida passou por todo o processo de produção em condições perfeitas para o consumo, mas acabou sendo jogada no lixo por vendedores ou consumidores.
 
Os eventos do Dia Mundial da Alimentação são organizados em mais de 150 países para promover conscientização e ação global sobre a necessidade de garantir a segurança alimentar e dietas nutritivas para todos. O tema da campanha deste ano também demonstra o compromisso dos países com a agenda de desenvolvimento sustentável. Um dos objetivos é, até 2030, acabar com a fome, alcançar a segurança alimentar e promover a agricultura sustentável.
 
Nesse contexto, ações combinadas entre governo, iniciativa privada e comunidade são fundamentais para banir a insegurança alimentar do planeta, contribuindo para a melhoria do cenário instável apresentado nos últimos tempos e atuar na mobilização de todos os segmentos da sociedade em busca de soluções para as questões da fome e da miséria no mundo.
 
Dia do Engenheiro de Alimentos 
No dia 16 de outubro, juntamente com o Dia Mundial da Alimentação, também se comemora o dia do Engenheiro de Alimentos. 
 
O Engenheiro de Alimentos é um profissional preparado para atuar na indústria alimentícia, realizando o desenvolvimento de produtos e processos, além do controle de qualidade, entre outras atribuições. “Assim, o engenheiro de alimentos pode contribuir expressivamente para a diminuição do desperdício de matérias-primas na indústria de alimentos, para a otimização dos processos industriais e para a proposição de alternativas para o desenvolvimento de alimentos utilizando matérias-primas pouco utilizadas, tais como soro de leite, biomassa de microalgas e reaproveitamento de subprodutos da moagem de grãos cereais”, destaca Gutkoski.
Gostou? Compartilhe