Laser, lâmina ou cera: como encarar a primeira depilação?

Artigo - Cristiane dos Santos Pereira

Por
· 1 min de leitura
 Crédito:  Crédito:
Crédito:

Notamos que você gosta de ler nossas matérias.

Você já leu várias nas últimas horas, para continuar lendo gratuitamente, crie sua conta.

Ter uma Conta ON te da várias vantagens como:

  • Ler matérias sem limite;
  • Marcar matérias como lida;
  • Conteúdo inteligente.
Criar contaAcessar
Você prefere ouvir essa matéria?

Dizem que a primeira depilação a gente nunca esquece. Infelizmente, porque na grande maioria das vezes ela costuma ser traumática para as adolescentes que ficam expostas a se cortarem com lâminas ou sofrer com a tradicional depilação à cera. Só de pensar em arrancar os pelos pela raiz, dá um frio na espinha.

Uma pesquisa recente mostrou que 39% das mulheres se depilam pela primeira vez ainda na adolescência - e escondidas dos pais. As mais modernas partem logo para a depilação à laser. Mas afinal, qual é o melhor método para se depilar? Confira as vantagens e desvantagens de cada método.

Laser: embora carregue o estigma de ser definitiva, muitas vezes não é bem o que acontece. Depois de algum tempo os pelos começam a voltar porque novos folículos capilares vão nascendo. Esse pode ser até o mais duradouro dos métodos, mas muitas vezes, o laser machuca a pele, ocasionando manchas e até lesões mais graves.

Lâminas: além de durar muito pouco tempo, a depilação à lamina tende a engrossar os pelos, já que remove apenas a parte externa deles. Contudo, o maior perigo aqui é a adolescente se ferir, já que as lâminas são capazes de criar cortes, algumas vezes até profundos. A falta de habilidade com uma lâmina pode representar certo perigo para uma jovem que se depila pela primeira vez.

Cera: essa não parece ser a primeira opção das meninas, que ficam com medo da possível dor provocada pelo procedimento. Antigamente, as ceras provocavam queimaduras e lesões sérias na pele. Hoje, já existem opções no mercado que garantem uma depilação sem sofrimento. Para isso, é preciso contar com profissionais altamente gabaritados e, acima de tudo, com uma cera de boa qualidade, capaz de não só eliminar os pelos, como também hidratar e tratar a pele.

Um bom exemplo nesse novo cenário são redes de franquias, que está reinventando o mercado de depilação ao oferecer o produto certo para cada tipo de pele e região do corpo. O conceito leva em consideração que a pele da axila, virilha e pernas são diferentes e, por isso, merecem tratamentos diferentes. A depilação sem sofrimento só é possível graças à cera que, além de ser natural, é a única no mundo livre de toxinas - fator primordial, uma vez que o organismo absorve mais substâncias químicas pela pele do que por meio dos alimentos que consumimos.
Independentemente do método escolhido, o mais importante é que a garota esteja segura e confiante no procedimento. Mulher bonita e bem depilada é, acima de tudo, uma mulher segura.

Cristiane dos Santos Pereira é depiladora profissional da Depilrica com sete anos de experiência no mercado de beleza

 

Gostou? Compartilhe